10 Plantas para começar a sua Urban Jungle

10 Plantas para começar a sua Urban Jungle

A Strip Me te ajuda a começar a sua Urban Jungle em casa, indicando as plantas mais bonitas e adaptáveis a diferentes ambientes.

Faz tempo que cultivar plantas em casa deixou de ser coisa de vovozinhas simpáticas e hippies de meia idade. Desde meados da década de 2010 o conceito de Urban Jungle vem sendo adotado por arquitetos e designers de interiores como uma das mais importantes tendências de decoração do século XXI. A Urban Jungle transcende a simples decoração para reconectar os seres humanos com a natureza. E não é bicho-grilismo. Realmente, as pessoas vivendo em apartamentos cada vez menores, em cidades cada vez maiores, tem cada vez menos contato com as plantas. Isso se justifica pela rotina intensa de trabalho que não permite idas frequentes a parques e bosques, mas também pela jardinagem ser um tema muito pouco conhecido, em especial entre os jovens.

Acontece que os novos adultos, jovens entre trinta e quarenta anos, que moram sozinhos passaram a ter essa preocupação, sentiram falta de ter plantas em casa, seja pela memória afetiva da casa da avó cheia de samambaias e violetas, seja para deixar o apê mais bonito e com um clima mais agradável. Hoje a Urban Jungle é um estilo de vida pra muita gente, que encontrou nas plantas um hobby saudável e relaxante, terapêutico até. Pra começar uma Urban Jungle em casa, não é necessário muito esforço, mas requer atenção e alguns cuidados. A primeira coisa é observar bem os cômodos da casa e identificar onde e em qual horário do dia o sol é mais intenso, onde tem pouco iluminação, onde tem mais corrente de ar e claridade. Isso vai ser determinante para a escolha das espécies de plantas e onde coloca-las. Também é preciso estabelecer uma rotina para aguar, adubar e, se necessário, podar suas plantas. Isso vai fazer com que elas cresçam com mais beleza e vigor.

Se interessou e tá afim de começar a sua Urban Jungle aí? Então se liga nessa listinha com 10 plantas lindas e facilmente adaptáveis para você dar os primeiros passos. Para facilitar ainda mais a sua vida, damos as dicas de iluminação, rega e adubação, para você saber onde posicionar, quando regar e como adubar cada uma delas.

Espada de São Jorge


Pra começar com o pé direito, recomendamos a Dracaena trifasciata, mais conhecida como Espada de São Jorge. Para religiões de matrizes africanas, suas folhas funcionam como amuleto de proteção. É uma planta muito usada como uma forma de afastar energias negativas. Além disso é de fácil cultivo. Ela só exige um vaso relativamente grande, para que ela cresça e apareça. Importante você saber que ela é uma planta linda, mas é tóxica. Então, quem tem criança pequena e pets e m casa, é bom tomar cuidado.
Iluminação: A Espada de São Jorge é super resistente e se adapta bem em ambientes externos ou internos, com pouca luza, claridade indireta e até sol pleno. Então escolha o lugar dela sem preocupação.
Rega: Coloque água de forma regular, uma vez por semana. Tenha o cuidado de sentir antes se o solo dela está seco ou úmido. Se estiver úmido, não coloque mais água. Regá-la em excesso pode fazer com que as raízes apodreçam.
Adubação: Utiliza adubos como NPK 10-10-10, uma ou duas vezes por ano, de preferência durante a primavera.

Pacová


A Philodendron martianum é uma espécie de planta brasileiríssima, nativa da Mata Atlântica. Tem folhas verdes brilhantes e largas, que são lindas para a decoração de ambientes internos. É outra planta altamente adaptável. A Pacová pode ser plantada tanto em jardins como em vasos tipo bacias junto com outras plantas, ou sozinha em vasos estreitos e altos.  No caso de estar plantada no solo ou em vasos baixos, é bom ficar atento, pois ela também é tóxica para pets.
Iluminação: É uma planta que gosta de claridade, mas de pouco sol. Então o ideal é escolher ambientes bem iluminados, com sombra ou meia-sombra. E também ambientes internos, em especial para quem vive em regiões onde o inverno é mais rigorosa, pois ela não se aapta bem ao frio.
Rega: Não existe uma regra exata. Pode ser dia sim, dia não, duas vezes por semana. Tem que observar. O importante é que o solo dela esteja sempre úmido. Atenção: úmido, mas não encharcado. Para evitar isso, é interessante manter a planta num solo com substrato drenável, como fibra de coco, casca de pinus média ou areia grossa de construção.
Adubação: Adubar duas vezes por ano, no final do inverno e começo do verão. Recomenda-se o uso de adubo orgânico ou adubo químico do tipo NPK 10-10-10.

Jiboia


Quem disse que ter Jiboia em casa não é boa ideia? A Epipremnum pinnatum é uma trepadeira com oito espécies diferentes e muito fácil de cuidar. São plantas perfeitas para ambientes internos e ficam lindas cultivadas em prateleiras ou locais altos. Crescem bem em vasos pequenos e médios. A  Jiboia se espalha facilmente e você pode fazer mudas para multiplicá-la ainda mais, e até dar mudinhas de presente para os amigos. Para isso, basta cortar seu caule na diagonal, colocar num pote com água e esperar que comecem a crescer as raízes. Com as raízes formadas, é só pegar um vaso, colocar pedriscos no fundo, adicionar terra e fazer um pequeno buraco para acomodar a muda.
Iluminação: Se adapta a locais com sombra ou sol, mas cresce melhor com luz indireta. Então, prefira ambientes internos como cozinha ou banheiro. Não deixe muito perto de janelas, porque a luz do sol pode queimar as folhas.
Rega: Em estações quentes, regar 3 vezes por semana. Em estação mais frias diminuir para duas ou uma vez por semana.
Adubação: Adubar a cada três meses com fertilizantes orgânicos e húmus de minhoca.

Palmeira-Leque


O nome científico desta imponente planta ornamental é Licuala grandis. Existem seis tipos mais conhecidos de Palmeiras-leque. A mais comum e mais fácil de cultivar em casa é a Palmeira Licuala, também conhecia como Palmeira Leque Japonês. Ela é nativa da Oceania e está acostumada ao clima tropical, quente e úmido. Cresce bem em vasos grandes, mas se desenvolve com mais altivez se plantada no solo. É ideal para quem tem um jardim de inverno, por exemplo.
Iluminação: Se adapta bem a ambientes internos bem iluminados. Se plantada no solo, em regiões mais quentes, suporta bem o sol pleno, se bem irrigada.
Rega: Duas vezes por semana, tanto para ambientes interno como externo.
Adubação: Adubar mensalmente com matéria orgânica como esterco, húmus de minhoca, compostagem e etc. Acrescentar NPK 10-10-10 uma vez por ano no verão.

Strelitzia nicolai

A Strelitzia nicolai é uma das plantas ornamentais mais requisitadas por arquitetos e decoradores. Sua folhas longas e exuberantes lembram muito as folhas da bananeira e imprimem um clima tropical ao ambiente. Também conhecida como Estrelícia Augusta, é nativa do sul do continente africano, ela é uma planta que se adapta bem a ambientes externo ou interno, mas precisa de alguns cuidados para que possa crescer saudável e as suas folhas exóticas se mantenham bonitas.
Iluminação: Se desenvolve melhor em ambientes arejados e com boa iluminação indireta. Se exposta ao sol, que seja apenas de manhã. O sol intenso queima suas folhas. Prefira ambientes internos amplos como a sala.
Rega: Ela gosta do solo sempre úmido. Lembrando sempre: úmido, mas não encharcado! A rega pode ser feita de 2 a 3 vezes na semana, cuidando sempre para que o solo não fique ressecado.
Adubação: É uma planta que precisa de um solo fértil, com boa drenagem, que pode ser conseguida com a mistura de argila expandida e fibra de coco. Adubar semestralmente com matéria orgânica como esterco e húmus de minhoca.

Dracena


As plantas do tipo Dracaena somam pelo menos 100 espécies. Cada uma com características bem diferentes umas das outras. Algumas dão flores, outras tem as folhas multicoloridas, outras crescem mais… mas a que recomendamos aqui é a mais comum delas, a Dracaena fragrans, mais conhecida simplesmente como Dracena ou como Pau D’água, pois é uma planta super fácil de cultivar, e que se adapta muito bem a diferentes ambientes. Ela tem folhas verdes ou com listras verde-claras e as plantas adultas produzem um cacho de pequenas flores brancas e perfumadas. Portanto, ela também melhora a qualidade do ar do ambiente.
Iluminação: Mantenha a planta em um vaso no chão ou em uma mesa em um ambiente interno bem iluminado, mas longe da janela. Ela não gosta muito de sol direto.
Rega: Regar duas a três vezes por semana, somente suficiente para manter seu solo úmido. Como é uma planta que gosta de umidade, também é bom borrifar as folhas com água toda semana.
Adubação: Para um crescimento saudável, utilize um fertilizante líquido balanceado todo ano, uma vez a cada quinze dias durante a primavera ao outono.

Ficus lyrata


A Ficus Lyrata é uma planta linda e muito imponente. Na natureza, é uma árvore que pode atingir até 15 metros de altura, formando uma linda e robusta copa. Já a Ficus Lyrata Bambino é sua versão menor, que pode facilmente ser cultivada em vasos grandes dentro de casa. Suas folhas são grandes e brilhantes e ela pode chegar a dois metros e meio, três de altura. Também se adapta bem em ambientes externos, plantada no solo, em jardins. Ela é nativa da África e gosta de climas tropicais. É importante saber que seu crescimento é lento, portanto, vai exigir um pouco mais de paciência e dedicação com os cuidados. Mas vai valer a pena!
Iluminação: É Uma planta que gosta de ambientes arejados e bem iluminados. Pode receber sol indireto ou o sol da manhã. Neste caso é importante ir girando o vaso de tempos em tempos, digamos dia sim dia não, para que  todos os lados da planta recebam a mesma quantidade de luz natural, sem correr o risco das folhas queimarem.
Rega: É uma planta que gosta bastante de água. Porém, cuidado para não deixar seu solo encharcado, lembre-se que isso apodrece as raízes. Regue a cada dois dias, para manter o solo sempre úmido.
Adubação: Utilizar algum adubo de NPK 10-10-10, ou seja nitrogênio, potássio e fósforo equilibrados, podendo usar o adubo líquido ou em pó. O recomendado para manter a planta saudável é adubar 1 vez por mês.

Árvore-da-Felicidade


A Árvore da Felicidade é uma planta linda e com muito significado. Nativa da Ásia, a mitologia japonesa prega que é uma árvore mágica, que traz prosperidade, e é muito utilizada pelos chineses que praticam o Feng Shui. Há de se diferenciar macho e fêmea. Polyscias fruticosa (fêmea) e Polyscias guilfoylei (macho). As folhas da Árvore-da-Felicidade-fêmea são mais finas e delicadas, assim como seu tronco, ou seja, ela cresce menos e é ideal para ser cultivada dentro de casa. Já a Árvore-da-Felicidade-macho tem folhas mais largas e tronco mais robusto. Ela cresce mais e o ideal é ser plantada no solo , em jardins externos.
Iluminação: No caso da árvore fêmea, cultivar em vaso grande e em ambiente bem iluminado, com sol indireto. Dê preferência para ambientes espaçosos para que ela possa crescer.
Rega: Regar duas ou três vezes por semana, conferindo sempre se o solo está úmido. Se ficar encharcado, as folhas ficam amareladas.
Adubação: Adubar a cada 3 meses com adubo de esterco ou adubo NPK.

Samambaia


Um verdadeiro clássico da jardinagem, a samambaia provavelmente é a planta mais associada às plantas de casa, em vasos ou jardins. E ela tem história. São aproximadamente 200 espécies e 10 mil tipos de samambaias, que habitam as matas mundo afora há milhares de anos. É uma planta que está na natureza desde os tempos dos dinossauros. A mais comum, e que recomendamos hoje aqui é a samambaia americana, de folhas pequenas de cor verde claro intenso e arbusto denso. Uma planta linda de fácil manutenção, com aquele jeitinho charmoso de casa de vó.
Iluminação: É uma planta para ambientes de meia-sombra ou com luz difusa. Manter a planta próxima a uma janela, embaixo de árvores ou em varandas. O sol direto queima suas folhas e resseca o solo.
Rega: A rega pode ser feita até três vezes na semana durante o verão ou períodos de seca. É importante manter seu solo sempre úmido e, de vez em quando, borrifar água nas folhas.
Adubação: A adubação da samambaia pode sr feita uma vez por mês, usando adubos ricos em cálcio, sejam eles naturais ou químicos. Uma dica de adubo natural para a samambaia são cascas de ovos. Basta limpá-las e bater as cascas secas em um liquidificador, depois colocar esse pó no solo da planta e regar.

Costela de Adão


A Costela de Adão é a grande estrela das Urban Jungles no Brasil! Também, não é para menos! Uma planta linda e imponente, com folhas grandes, brilhantes e com seus recortes cheios de charme! Além disso, é de fácil manutenção, se adapta bem em qualquer ambiente e exige poucos cuidados. Ela é nativa da América Central, também pode ser chamada de Monstera Deliciosa e é uma planta considerada despoluente do ambiente onde se encontra. Por causa da extensa área superficial de suas folhagens, ela faz uma eficiente filtragem do ar,  absorvendo, por exemplo, amônia e formaldeído, substâncias que ficam no ar e fazem mal á saúde.
Iluminação: É uma planta que prefere luz indireta. Porém, em regiões frias, é bom coloca-la para tomar sol de manhã duas ou três vezes por semana durante o inverno. Prefira ambientes internos amplos, com espaço, para que ela possa crescer.
Rega: Regar duas vezes por semana, sempre conferindo se seu solo não está ressecado. É necessário mantê-lo sempre úmido, mas não encharcado.
Adubação:  Adubar todo ano, durante a primavera e o verão, uma vez por mês durante essas estações.

É muito bom saber que as plantas estão se tornando parte da vida das pessoas, estão invadindo a cultura pop e trazendo de volta a nossa convivência direta com a natureza! Para a Strip Me isso é motivo de muita satisfação e inspiração. Nos motiva a trabalhar com produtos que não agridem o meio ambiente, como tintas biodegradáveis e tecido 100% algodão, e nos inspira a criar estampas lindas e super originais! No nosso site você pode conhecer as coleções de camisetas florais e a coleção tropics, além das nossas tradicionais camisetas de cinema, arte, música, cultura pop e muito mais. Na nossa loja você também fica por dentro de todos os nossos lançamentos, que aparecem por lá toda semana.

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist relaxante e inspiradora para você curtir enquanto cuida das sua plantas. Jardinagem Top 10 tracks.

Para assistir: Para relaxar, vale a pena assistir a divertida animação Bee Movie, onde uma abelha se torna amiga de uma mulher que é florista. O visual do filme é lindo, repleto de plantas e flores, e tem um roteiro bem interessante e leve. Aliás, o roteiro é escrito por ninguém menos que Jerry Seinfeld, que também dubla um dos personagens. O filme foi lançado em 2007 e tem a direção da dupla Simon J. Smith e Steve Hickner. É um excelente entretenimento.

Para ler: Eduardo Gonçalves é doutor em botânica pela USP, além de ser um escritor muito talentoso. Seu livro Se Não Fugir, É Planta, título muito convidativo, diga-se, foi lançado em 2015 pela editora Europa e é um divertido e completo compêndio sobre a botânica. Um livro atraente e leve para leigos, sem ser muito superficial para iniciados no mundo das plantas. Leitura recomendada!

Adicionar um comentário

You must be logged in to post a comment.


Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.