7 filmes essenciais do cinema argentino.

7 filmes essenciais do cinema argentino.

O cinema argentino é reconhecido internacionalmente pela sua diversidade e originalidade. A Strip Me, que não fica sem um filminho no fim de semana, selecionou os 7 filmes mais marcantes do cinema produzido pelos hermanos!

O cinema argentino tem uma trajetória muito parecida com o cinema brasileiro. Teve um início iontenso, mas mais popularesco até os anos 1950, depois começou a produzir obras mais maduras durante as décadas de 1960 e 1970, mas, ao contrário do Brasil, teve sua produção estrangulada pela rigidez dos regimes ditatoriais. No fim dos anos 1980 despontou com produções inovadoras e gerou toda uma geração de grandes cineastas Como Luis Puenzo e Lucrecia Martel. Mas foi no inçio do século XXI que o cinema argentino realmente desabrochou como um dos cinemas mais inventivos e celebrados do mundo, emplacando filmes todos os anos nas mais importantes premiações cinematográficas.

O que faz do cinema argentino tão único e encantador é a capacidade de abordar uma ampla gama de assuntos, desde dramas familiares e romances até questões sociais, históricas e políticas. Essa diversidade reflete a complexidade da sociedade argentina e permite que o cinema do país alcance públicos diversos, tanto nacional quanto internacionalmente. Essa capacidade de explorar temas universais através de uma lente local, aliada ao cuidado com a técnica e excelência artística, faz com que o cinema argentino seja único e facilmente reconhecível. Para comprovar tudo isso, a Strip Me selecionou 7 filmes que refletem toda essa qualidade e originalidade do cinema argentino.

La Historia Oficial (A História Oficial) – 1985 – Luis Puenzo

A História Oficial foi o primeiro filme argentino a ganhar o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 1986. Não à toa. É um filme inesquecível, denso e muito rico artisticamente. Ele conta a história de uma mãe que se vê mergulhada nos horrores da ditadura militar ao tentar descobrir a origem de sua filha adotiva. Ao mesmo tempo que tem uma pegada de protesto, o longa é um drama emocionante. Destaque para atuação impecável de Norma Aleandro. Um filme imperdível!
Onde assistir: Netflix

Nueve Reinas (Nove Rainhas) – 2000 – Fabián Bielinsky

No cinema, fazer com que a audiência se encante e torça para os bandidos é uma arte que poucos conseguem realizar com êxito. E o diretor Fabián Bielinsky conseguiu com louvor! Nove Rainhas é daqueles filmes de roubo de tirar o fôlego e deixar todo mundo aplaudindo a audácia dos ladrões. Se não o primeiro, foi um dos primeiros filmes onde Ricardo Darín mostrou o grande ator que é. Um filme que não deixa nada a desejar a seus pares hollywoodianos como Onze Homens e Um Segredo e Truque de Mestre.
Onde assistir: Star+

La Ciénaga (O Pântano) – 2001 – Lucrecia Martel

Lucrecia Martel estreou com este filme em 2001 subvertendo o cinema pop, mas muito bem feito, de filmes como Nove Rainhas e O Filho da Noiva. O Pântano é um filme pesado, denso e com uma fotografia avassaladora ,com seus contrastes e ângulos fechados, quase claustrofóbicos. É uma metáfora de uma mente solitária e perturbada, que se afunda em si mesma, enquanto, esteticamente reverbera o cinema surrealista de Buñuel. Uma verdadeira obra de arte.
Onde assistir: Mubi – Apple TV

El Hijo de la Novia (O Filho da Noiva) – 2001 – Juan José Campanella

Talvez este seja o filme que melhor representa o novo cinema argentino, que conquistou o mundo. De uma maneira singela e divertida, Juan José Campanella consegue criar um ambiente familiar a qualquer pessoa do mundo, mesmo retratando fielmente a sociedade e os costumes do típico cidadão portenho. Mérito também de Ricardo Darín, que constrói neste filme um personagem carismático e universal, um verdadeiro anti herói. Um filme que, através das relações humanas, consegue cutucar com elegância problemas sociais importantes. Mas, acima de tudo, é um entretenimento de altíssima qualidade!
Onde assistir: Mubi – Youtube

El Secreto de Sus Ojos (O Segredo dos Seus Olhos) – 2009 – Juan José Campanella

O Segredo dos Seus Olhos é um filme transcendente. Tamanha a qualidade e força do roteiro e a beleza de sua fotografia, o filme envolve de tal forma o espectador, que questões de nacionalidade e idioma tornam-se irrelevantes, pois tudo que se quer é desvendar o crime junto com o agente judiciário Benjamin Espósito, interpretado com maestria por Ricardo Darín, sempre ele! O longa ganhou prêmios no mundo todo, incluindo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e está na lista dos 100 melhores filmes do século XXI. Um filmaço obrigatório!
Onde assistir: Star+ – Amazon Prime Video

Medianeras – 2011 – Gustavo Taretto

É verdade que a sinopse de Medianeras é pouco convidativa: Uma comédia romântica dos tempos modernos, onde dois jovens se relacionam virtualmente sem saber que são praticamente vizinhos numa cidade grande. Mas o que Gustavo Taretto conseguiu fazer com esse plot é impressionante! Um filme divertido e emocionante, com um timing invejável, uma edição moderna… esteticamente é um filme deslumbrante! E o roteiro é sensacional! Bem amarrado, com ótimos diálogos e esse passeio entre o real e virtual tão interessante! Assim como fez Bielinsky em Nove Rainhas, Taretto não deixa nada a desejar frente a comédias românticas cult norte americanas como 500 Days of Summer.
Onde assistir: Mubi – Apple TV

Argentina, 1985 – 2022 – Santiago Mitre

Curiosamente, encerramos essa lista com um filme cujo tema é o mesmo do primeiro filme aqui recomendado: um retrato dos tempos da ditadura militar argentina. Porém, enquanto A História Oficial se baseia num drama familiar, em Argentina, 1985, temos uma história baseada em fatos, onde a ditadura em si é mais que discutida, mas julgada. O longa retrata o que ficou conhecido como Julgamento das Juntas Militares, o primeiro julgamento no mundo onde um tribunal civil julgou militares depois da Segunda Guerra Mundial. Só pelo contexto histórico o filme já vale a pena ser visto, no mínimo para inspirar povos e governos. Mas para além do contexto histórico e político, temos um roteiro envolvente e uma atuação irretocável do onipresente Ricardo Darín. É um filmaço, que, principalmente para nós, brasileiros, apresenta reflexões profundas.
Onde assistir: Amazon Prime Video

Diversidade temática, qualidade artística, capacidade de explorar temas universais através de um olhar local e o equilíbrio entre a tradição, a inovação e experimentação fazem com que os filmes argentinos sejam, em sua maioria, realmente irresistíveis. E a Strip Me, que manda às favas a rivalidade boba entre Brasil e Argentina, faz questão de celebrar esse cinema tão único e encantador! Aliás, como pra gente fronteiras são só linhas imaginárias, temos uma coleção imensa de camisetas de cinema, com referências de filmes de tudo quanto é lugar. E não só isso, temos também as coleções de camisetas de arte, música, cultura pop e muito mais. Dá uma conferida no nosso site e aproveita pra ficar por dentro de todos os lançamentos, que pintam por lá toda a semana.

Vai fundo!

Para ouvir: Nem só de cinema vivem os argentinos. Por lá também tem muita música boa. Aqui está uma playlist do que rola de mais legal entre as bandass argentinas. Argentina Top 10 tracks.

10 curiosidades sobre o café.

10 curiosidades sobre o café.

O cafezinho nosso de cada dia é mais que um hábito, é uma instituição brasileira. Algo tão representativo da nossa cultura, que a Strip Me, sempre de olho em cada aspecto da nossa brasilidade, destaca hoje 10 curiosidades sobre o café!

São três horas da tarde. O sol lá fora está fervendo, você, sentado em frente ao computador, tenta se concentrar no trabalho, enquanto o ventilador só faz espalhar um vento morno. Uma gota de suor escorre pelas suas costas, você olha para o relógio, três e dois da tarde. Fica difícil se concentrar no trabalho. O calor é opressor. Só uma coisa pode restaurar seu bom desempenho: um copo americano com café bem quente!

A relação do brasileiro com o café é meio inexplicável mesmo. Não se resume a uma dose de cafeína pra ajudar a acordar, logo de manhã, ou para dar um up pra trabalhar ou estudar. É uma coisa mais ampla, uma forma de se sentir em casa. O café é social, é familiar e até mesmo companheiro solo para quem quer tirar o dia de folga e ficar em casa sem fazer nada. O nosso bom e velho cafezinho faz parte da vida do brasileiro, portanto, hoje vamos conhecer um pouco mais sobre ele.

Cereja.

Sim, pouca gente sabe, mas o café é um tipo de cereja, é uma frutinha carnuda com uma semente, normalmente bipartida, dentro. E o que a gente consome é justamente o extrato dessa semente, que é seca, torrada e moída. Por muito tempo, a fruta em si era descartada, desperdiçada. Mas atualmente, a indústria acaba aproveitando tudo, o fruto e a semente do café. Do fruto, faz-se, por exemplo, farinha, usada para fazer pães, muffins e outros produtos. Mas essa farinha não tem gosto de café, mas sim algumas notas mais florais e cítricas.

Chegando no Brasil.

O café é nativo do norte da África. Inicialmente tornou-se popular no oriente médio, e de lá se espalhou para o mundo através das invasões mouras e, posteriormente, das grandes navegações. No século XVIII os franceses cultivavam café em algumas ilhas do mar do Caribe. Qualquer tipo de exportação de mudas e sementes de plantas cultiváveis era expressamente proibida de um país para o outro. Se você está tomando seu cafezinho hoje, agradeça a Francisco de Melo Palheta, um sargento brasileiro a serviço da coroa portuguesa que fazia uma expedição pela América Central. Em 1727 ele estava na Ilha de Martinica, se engraçou com a esposa do governador da ilha, o francês Claude d’Orvilliers. Ela então, presenteou secretamente o brasileiro com sementes e mudas de café. Tais mudas e sementes foram plantadas no estado do Pará. Anos depois, novas mudas foram levadas para o Rio de Janeiro e São Paulo, onde elas realmente se adaptaram bem. E o resto é história.

Trem bão, sô!

O café se adaptou bem à região do vale do Paraíba, no interior do Rio de Janeiro. Em meados de 1840 a produção cafeeira na região já era forte e começou a ser exportada. Assim surgiu a primeira ferrovia brasileira, a Estrada de Ferro Mauá. Na segunda metade do século XIX a produção de café decaiu no Rio de Janeiro, mas novas lavouras já floresciam e davam nova cara ao interior dos estados de São Paulo e Minas Gerais. Com essas novas lavouras, surgiram novas estradas de ferro. A Santos-Jundiaí, também conhecida como São Paulo Railway, foi inaugurada em 1867, seguida das ferrovias Paulista, Mogiana e a Sorocabana. As ferrovias ajudaram a fundar cidades e desenvolver centros urbanos por todo o sudeste brasileiro.

O café alimentou a aviação.

Acho que ninguém aqui sequer cogita entrar na discussão de quem é o pai da aviação, né? Esse título é brasileiro e ninguém tasca! É tão brasileiro que tem lá sua ligação com o café. Santos Dumont cresceu numa fazenda em Palmira, sul de Minas Gerais. Seu pai, Henrique Dumont, foi um dos grandes barões do café da época. A família Dumont era riquíssima e o pequeno Alberto Santos vivia pelos barracões da fazenda desmontando e montando ferramentas e máquinas. Já adulto, teve uma excelente educação na Europa. Graças ao dinheiro da família, não precisou trabalhar e investia todo o dinheiro que recebia do café de seu pai em suas pesquisas, que resultariam na invenção do avião!

Imigração e formatação do sudeste.

A expansão das fazendas de café do meio pro fim do século XIX, junto com as ferrovias e o fim da mão de obra escrava, trouxe para o sudeste uma verdadeira invasão de imigrantes europeus, em especial italianos e espanhóis, além de japoneses e libaneses, para trabalhar nas lavouras. Essa miscigenação ajudou a criar uma sociedade economicamente forte, já que muitos imigrantes começavam nas lavouras de café, mas logo juntavam um dinheirinho e abriam vendas, quitandas, oficinas… Assim foi forjada a região que hoje é a mais populosa e mais rica do país, através do café.

Semana de Arte Moderna

Os barões no café no estados de São Paulo eram muito poderosos no início do século XX. Influenciavam diretamente na política e começavam a querer ter cada vez mais protagonismo. Assim, o primeiro centenário da Independência do Brasil teve São Paulo como seu principal palco, com grandes construções e pavilhões pela cidade, além do Museu do Ipiranga e o fortalecimento da mística do grito de independência às margens do tal riacho. E foi nessa onda ufanista e prodigiosa que os artistas modernistas paulistanos decidiram criar a Semana de Arte Moderna, que só pode acontecer por causa de gente como Paulo Prado, um dos cafeicultores mais ricos de São Paulo e entusiasta da arte, que financiaram a coisa toda.

Terroir.

É verdade. O café já alcançou status de bebida gourmet. Por isso, torna-se cada vez mais relevante saber a origem dos grãos de café a serem consumidos. E para cada região, esses grãos ganham particularidades. Veja bem, tem só dois tipos de café: o arábica e o robusta, o arábica é o mais comum, é mais suave, com um leve adocicado, já o robusta é mais intenso e amargo. Mas o arábica cultivado nas montanhas de Minas Gerais nunca será igual ao arábica do interior de São Paulo. Assim como a uva merlot argentina é diferente da chilena, por conta do que passaram a chamar de terroir, o mesmo vale para o café. Só no Brasil são 24 regiões diferentes produzindo café, das montanhas do Espírito Santo ao Planalto Central, passando pelo Cerrado Baiano e pelas matas de Minas, são regiões muito diferentes, capazes de produzir cafés muito distintos, e deliciosos!

Cafeína.

A cafeína é uma ilusão! Calma, não é assim também. A cafeína existe e seus efeitos são comprovados. Ela é estimulante e tudo o mais que você sabe. A ilusão é que a gente tende a achar que aunto mais forte for o café, mais cafeína estamos mandando pra cachola. Ledo engano. No caso do arábica, o café mais comum consumido, o nível de cafeína vai variar de acordo com o tipo de moagem que o grão recebe e principalmente da torra. Até mesmo a temperatura da água na hora do preparo para o consumo, pode influenciar. Quanto mais torrado o grão for, mais ele perde cafeína, afinal, a torra queima o grão, com isso, muitas de suas propriedades naturais são perdidas. No caso de cafés em pó, prefira os tradicionais aos extrafortes. Além do tradicional ter um pouco mais de cafeína, ele é mais saboroso. O extraforte é mais torrado, o que faz com que os produtores coloquem ali os grãos de pior qualidade, já que a torra vai mascarar isso. O café extraforte tem sabor mais intenso e amargo mas não necessariamente sabor de café. Fica esperto!

Cafezinho brasileiro.

Sim, se você pedir um cafezinho em qualquer lugar do mundo, as chances de consumir um produto brasileiro são altíssimas. Pra você ter uma noção, mesmo somando o volume produzido pelos outros três maiores produtores de café do mundo (Vietnã, Colômbia e Indonésia), o valor total ainda é menor que a produção brasileira. Em 2018, por exemplo, foram produzidas 69 milhões de sacas, cada uma contendo 60 quilos de café brasileiro. Assim como o futebol, o café não tem sua origem por aqui, mas já se tornou 100% brasileiro, com a vantagem que com o café não tem 7×1!

Futuro.

Muitos séculos atrás, os povos do oriente médio tinham um ritual antes de partir para longas viagens: Tomar um café e, depois vislumbrar seus caminhos e obstáculos na borra do café que se acumulou no fundo da xícara, afinal, na época eles não tinham o hábito de coar o café antes de beber. Surgiu a cafeomancia, uma prática que persiste até hoje! É isso mesmo! Tem gente que vê o futuro na borra de café. E, aparentemente, não tem muito segredo. Para iniciar o ritual, você precisa de uma xícara de água morna, uma colher de café em pó moído e uma xícara de açúcar, além de escutar a sua intuição. O açúcar, no caso, é importante porque ele é considerado um condutor à espiritualidade. Então, aprecie lentamente o café e eleve o pensamento positivamente. Concentre-se naquilo que deseja saber e tome o café ainda morno. Em seguida, quando o café acabar, inicie o processo de observação das figuras que surgiram no fundo da xícara. Para facilitar a sua vida, aqui estão alguns significados do que você pode ver neste teste de Rorschach do café.
Árvore: sinal de que algo esperado será concretizado.
Bailarina: uma mulher que vive ao seu lado oferecerá ajuda.
Boca: a sexualidade está em baixa.
Buquê com flores: alegrias em relacionamentos (amorosos ou amigos)
Cadeado: pode ser o tempo de se mudar para longe.
Cobra: cuidado! Alguém pode traí-lo.
Sol: felicidade como ponto auge.
Coração: aquela paixão arrebatadora pode chegar e mudar sua vida.
Estrela: realização em todos os campos da vida.

Realmente, o que não faltas é história e bons motivos pra gente seguir tomando o nosso cafezinho de todo o dia! Pode ser espresso ou do coador, na xícara ou no copo americano, com açúcar ou sem açúcar… o importante é sempre ter café por perto! A gente, aqui na Strip Me, brasileiríssimos que somos, não ficamos sem o nosso cafezinho e também fazemos questão de exaltá-lo em nossas camisetas! Dá uma conferida na nossa loja, nas camisetas florais, nas coleções Tropics, Verão e Bebidas, e você certamente vai encontrar nossas estampas cafeinadas! No nosso site você também fica por dentro de todos os nossos lançamentos, que pintam toda a semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist caprichada com canções que fazem referência ao café! Coffee Time top 10 tracks.

Para assistir: Vale a pena acompanhar no Youtube o canal Arquitetura do Café, criado inicialmente para falar sobre a arquitetura e engenharia das antigas fazendas de café, mas atualmente é um verdadeiro portal interessantíssimo sobre a cultura do café de maneira geral, com várias informações e conteúdos interessantes. Link aqui: Arquitetura do Café.

10 alternativas para aproveitar o Carnaval sem cair na folia.

10 alternativas para aproveitar o Carnaval sem cair na folia.

O Carnaval chegou! Mas há de se compreender que não é todo mundo que gosta dessa bagunça toda. Mas de feriado prolongado todo mundo gosta. Por isso, a Strip Me, sempre muito livre de quaisquer convenções, apresenta 10 alternativas pra curtir o feriado sem samba no pé.

“Quem não gosta de samba bom sujeito não é. Ou é ruim da cabeça ou é doente do pé.” Quem somos nós para questionar Dorival Caymmi? Todavia, podemos argumentar que, ainda que se goste de um bom sambinha ao entardecer, não é todo mundo que gosta do frenesi enlouquecido e do calor humano em demasia que o Carnaval emana. Vá lá, de samba todo mundo gosta. Já do Carnaval… Mas precisamos lembrar que o Carnaval é um feriado prolongado. São 4 dias para esquecer o trabalho e relaxar. E se você não quer ir pro bloquinho, tá tudo bem. A Strip Me te ajuda a aproveitar esse tempo livre da melhor forma possível!

Viajar.

Sim, é a opção mais óbvia. E tanto pode ser uma viagem curta, uma road trip tranquila para algum lugar próximo, mais tranquilo, como também pode ser uma viagem para um lugar mais distante, aí já dependendo de compra de passagens e um planejamento prévio. A dica aqui é procurar destinos pouco procurado por turistas entusiasmados, lugares onde o contato com a natureza é valorizado. Para quem mora em São Paulo, uma ótima opção é a cidade de São Francisco Xavier, no Vale do Paraíba, uma região montanhosa de belas paisagens e muitas cachoeiras. Já nas regiões mais ao norte, podemos citar a imponente região da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, ou ainda as belas paisagens do Jalapão, no Tocantins. Ao sul, as serras catarinense e gaúcha revelam pequenas cidades onde impera a tranquilidade e as delícias dos embutidos artesanais e dos bons vinhos. Se você não quer samba no pé, bote o pé na estrada!

Ler.

É sério. Ler é uma das atividades mais relaxantes que existem! Ainda mais nos dias atuais. Claro que estamos falando aqui de leituras leves. Não adianta você querer apaziguar os pensamentos e relaxar, e escolher ler Nietzsche ou Schopenhauer. Mas pensa bem. Você na tranquilidade do seu lar, aquele ambiente fresco, aromatizado por todas as plantas da sua urban jungle, o sofá macio… e você vai pegar o celular pra ficar vendo stories no Instagram? Não dá, né! Até porque sempre aparece, entre gatinhos fofos e receitas na airfryer, gente xingando político e falando de desgraça. Você já fica na frente do computador e do celular a semana toda. Pega esses dias livres e deixa o smartphone de lado e lê um bom livro. Pode ser um clássico como A Viagem ao Centro da Terra do Julio Verne, que é um livro curto e super empolgante. Ou o recentíssimo Imperfeitos, romance divertido e um dos livros mais vendidos de 2023, da escritora Christina Lauren. Sem falar nos autores brasileiros incríveis e deliciosos para esse tipo de leitura, como Mário Prata, Moacyr Scliar, Rubem Fonseca, Luis Fernando Verissimo, Marcelo Rubens Paiva… Opções não faltam!

Maratonar séries.

Os streamings realmente mudaram as nossas vidas. E mudaram para melhor, é claro! Para quem é do tempo que tinha que ir numa locadora, escolher um ou dois filmes, assistir em 48 horas, rebobinar a fita VHS e voltar na locadora para devolver a fita e pagar o aluguel, é quase inacreditável ligar a televisão e ter uma infinidade de filmes e séries à disposição para assistir quando quiser. Depois da popularização dos streamings, as plataformas identificaram esse novo hábito das pessoas: maratonar séries. Assim a Netflix, principalmente, começou a investir com muito êxito em minisséries, ou seja, histórias contadas em 6 ou 8 episódios de 50 minutos, uma hora cada, para maratonar sem aquela preguicinha de ver uma série que parece legal, mas tem 6 ou 7 temporadas, quando não é algo interminável como Grey`s Anatomy. Algumas das minisséries mais legais da Netflix para maratonar são:
O Gambito da Rainha
A Garota na Fita
Inventando Anna
Som na Faixa
A Grande Ilusão

Ir ao cinema.

Apesar de todo o conforto e praticidade que o streaming oferece, ir ao cinema ainda é uma experiência incomparável. Quem viu Oppenheimer no cinema não nos deixa mentir. Todos os sentidos do seu corpo estão voltados para o filme, que, sendo bom, vai fazer você abstrair de todos os problemas e preocupações, para fazer parte daquela história! Inclusive Barbie, que tanta controvérsia gerou, e é sim um bom filme, no cinema tem um desempenho bem mais eficiente! Então se programe aí, procure a sala de cinema mais perto da sua casa e se entregue a essa sala escura mágica. Para dar um incentivo, se liga em alguns filmes que estarão em cartaz durante o Carnaval:
A Cor Púrpura
Duna: Parte 2
Segredos de um Escândalo
Aquaman 2: O Reino Perdido
Anatomia de uma Queda

Cozinhar.

Alimentação é uma parada bem série, envolve saúde e tudo o mais. Mas a culinária pode muito bem ser um hobby, uma atividade realmente relaxante, como o artesanato ou a pintura. Afinal, demanda uma boa dose de técnica e atenção e trabalha com quase todos os sentidos do corpo. Não é à toa que a pandemia gerou toda uma geração de padeiros e confeiteiros. Pois bem, que tal aproveitar o tempo livre durante o Carnaval para experimentar novas receitas, aproveita pra chamar uns amigos pra provar o rango, tomar uma cervejinha e colocar o papo em dia. A internet é uma fonte inesgotável de receitas legais, mas se você quiser já utilizar uma das dicas dadas neste texto, vai atrás do excelente livro O Que Tem na Geladeira, da Rita Lobo! É um livro muito bom, com uma linguagem leve e receitas deliciosas!

Spa.

Mas se a intenção é relaxar mesmo, nada melhor do que ficar nas mãos de profissionais. Atualmente existem vários spas com diferentes propostas e serviços, sempre visando o bem estar. Desta forma, quem decide passar um dia, ou um feriado prolongado, num spa, vai ter toda a sua estadia organizada, desde uma alimentação leve e saborosa, até sessões de massagem, tratamento de pele e etc. E não pense você que spa é coisa de mulher. A maioria dos spas tem pacotes para casais irem juntos e também recebem muitos homens dispostos a relaxar e se desintoxicar da rotina massacrante de trabalho. O Carnaval também é uma baita oportunidade para você cuidar de você mesmo.

Reunir amigos em casa.

Não curtir as muvuca, o aperto e o barulho do Carnaval é uma coisa. Outra bem diferente é não curtir uma festinha com os amigos mais chegados. Ainda mais durante o feriado prolongado de Carnaval onde o calor ainda impera soberano e implacável! Sério, se você tem uma piscina em casa e não vai convocar a turma pra agilizar um churrasquinho domingo de tarde, você está marcando touca! Tudo bem. Não tem piscina em casa, não come carne… sem problema. Mas dá pra fazer aquela reuniãozinha de queijos e vinhos em casa de noite, sem preocupação de horário pra acabar. Ou então, sejamos francos, aquela cervejada bruta com amendoim e salgadinhos de procedência duvidosa, só pra juntar a turma e dar risada! Abrir mão da maior festa do Brasil pra fazer aquela festinha intimista em casa é sempre bom negócio!

Visitar museus.

Já que o nosso negócio é barulho, diversão e arte, não poderíamos deixar de recomendar que você aproveite o tempo livre do Carnaval para dar um passeio por um ou mais museus da sua cidade. Prestigiar as exposições dos museus é muito importante para a própria existência dos mesmos. Se a população não visita os museus, o poder público ou privado que os sustenta não vê necessidade de investir em infra estrutura e melhorias. Assim, os museus ficam abandonados, obsoletos e acabam até pegando fogo por falta desses cuidados. Então, procura aí na sua cidade, nas cidades vizinhas, uns museus e galerias de arte legais pra conferir! Dá essa força, porque a gente já viu que arte e história sem manutenção é fogo.

Colocar o sono em dia.

Eu sei que agora estamos falando a língua de muita gente! A gente vê por aí todas essas dicas de passeios incríveis, trilhas pela natureza, reunir um monte de gente em casa… Mas a real é que muita gente quer aproveitar pra dormir mesmo! Descansar nos lençóis desse reggae! Tirar o atraso do sono acumulado. Ainda mais quem tem criança pequena em casa, certamente esse é o tópico deste texto que chega a marejar os olhos da mãe exausta e do pai esbaforido. Então, meu querido e minha querida, fecha essa cortina, liga o ar condicionado, que o bloquinho da soneca vai passar!

Nada!

Sim! É isso mesmo! Você tem todo o direito de pegar esse feriadão de meu deus e não fazer absolutamente nada. Sabe aquele pedacinho da tarde de domingo em que você já lavou a louça do almoço, deu uma geral na casa e se dá conta que não tem absolutamente nada pra fazer? A televisão está ligada, mas sem volume, pode ter uma musiquinha rolando no fundo em algum lugar. Você senta no sofá, troca de canal algumas vezes e larga a tv lá ligada sem volume, aí pega o celular dá aquela geral… Basicamente você tem 4 dias pra fazer isso. Lembre-se que não fazer nada inclui beliscar alguma coisa na geladeira, tomar uma cervejinha, mandar meme no whatsapp e, eventualmente levar o cachorro pra fazer cocô no jardim. Em resumo, você está livre, meu anjo! Assim como o Carnaval é liberdade pra dentro da cabeça, pra se esbaldar, se fantasiar e ser quem quiser na folia, ele estende essa liberdade pra você ficar em casa seminu e completamente desocupado. Aproveite!

A Strip Me curte se desdobrar, cruzar e cabecear pro gol ao mesmo tempo. Então a gente curte a folia, mas também não dispensa tirar uma tarde inteira pra tirar um cochilo e depois tomar uma cerveja de noite com a turma. E pra cada ocasião a Strip Me te deixa provido de inúmeras opções de looks incríveis! Na nossa loja você confere as coleções de camisetas de arte, cinema, música, cultura pop, bebidas e, é claro, verão e carnaval! São camisetas confortabilíssimas, com tecido com certificado BCI e corte que proporciona um caimento irrepreensível do P ao XGG. Ah sim, e no nosso site você também fica por dentro de todos os lançamentos, que pintam toda semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist relax, pra quem não quer saber da muvuca do bloquinho. CarnaRelax Top 10 tracks.

Carnaval Strip Me: 10 camisetas para quem vai cair na folia.

Carnaval Strip Me: 10 camisetas para quem vai cair na folia.

O carnaval de rua é uma mistura de cores e ritmos que transforma as ruas em verdadeiros palcos de folia. No meio desse turbilhão de confetes e serpentinas, a Strip Me te dá a letra de como chegar no bloquinho no maior estilo!

Os bloquinhos são uma espécie de pequenas revoluções carnavalescas, são como pequenos tesouros perdidos pelas ruas das cidades, que foram redescobertos de uns tempos pra cá. Com seus temas inusitados e fantasias improvisadas, os bloquinhos democratizaram de vez o Carnaval. Aqui não tem ingresso caro, abadás nem nada do tipo. É só colar junto e sair sambando, seja você um folião de carteirinha ou se está estreando sua primeira fantasia. Pode ser ao som de marchinhas tradicionais ou de hits do momento, tanto faz. Afinal, quem tem limite é município.

A real é que os bloquinhos de rua se tornaram verdadeiros refúgios da autenticidade, onde a espontaneidade e a criatividade reinam, junto com o Rei Momo, é claro. O Carnaval é em sua essência barulho, diversão e arte. E você sabe que de barulho, diversão e arte a Strip Me entende melhor do que ninguém. Portanto, hoje estamos aqui para recomendar dez camisetas pra você cair na folia numa boa. Afinal, além de super estilosas, são camisetas feitas com tecido com certificado BCI. Ou seja, são frescas e confortáveis, com um corte que proporciona um caimento perfeito, do tamanho P ao XGG. Confere aí!

Vai desculpar, mas não tem nada desse papinho de apropriação cultural! O Carnaval pode até ter suas origens séculos atrás, com romanos e tal… mas o Carnaval mesmo é coisa nossa, ninguém faz igual. Nem Veneza, nem New Orleans. Por isso, a camiseta Feito no Brasil já escancara isso e não deixa margem para dúvida. Para reforçar a ideia, a camiseta Rosa Samba remete aos grandes clássicos do Carnaval carioca, para mostrar quem manda de uma vez por todas. Numa pegada mais contemporânea, ali entre o vintage o meme, a camiseta Carnaval de Rua dá o tom para quem é mais descolado, bem humorado e quer curtir o bloquinho na liberdade total!

Pois é. Curtir o Carnaval na liberdade total! Esse é o princípio básico da parada, né? Pode ser bloquinho, baile no salão do clube, desfile de escola de samba na avenida… o importante é curtir como cada um acha melhor. Afinal, tudo isso é Carnaval. Com muito charme e estilo, é isso que a camiseta Le Carnaval transmite, ideal para quem vai direto ao ponto. Já a camiseta Carnaval Advisory é mais sapequinha, tem essa pagada mais moderna, parodiando aquele selinho malandro que vinha nas capas dos discos com um som mais agressivo. Uma camiseta pra quem não tem medo de abrir as asas e voar. Mas tudo isso lembrando de se hidratar bem, pra aguentar o tranco. Beber água é importante, mas não só, afinal é Carnaval. Acordou, é cafezinho pra dentro, depois é só dar uma lavada no copo americano e já passar pra cervejinha! Pra quem está sempre se hidratando no Carnaval, a camiseta Café Cerveja Carnaval é ideal!

Olha, curtir o Carnaval de rua é uma delícia, mas pode ser bem cansativo. Anda-se muito. E não só isso, afinal, no bloquinho impera a caminhada dançante, modalidade exclusivamente brasileira de andar atrás do trio dançando ao som da música. Portanto, o pit stop é sempre recomendável. Aquele botequinho com mesa na calçada é o ideal para se parar por um tempinho, pra descansar e tomar uma cervejinha, observando o movimento do bloquinho. Para quem não dispensa o boteco como parte essencial do Carnaval, a camiseta Mesa de Bar é perfeita. Linda, confortável e já vem com a mensagem prontinha. Da mesma maneira, a camiseta Duas Cervejas traz essa representatividade de uma maneira mais ampla e sedutora. Uma imagem que vale mais que mil palavras, o mais puro suco de Brasil.

O Carnaval é uma festa. E, sejamos francos, festa sem uma biritinha não é a mesma coisa, né? Sendo o Carnaval a festa mais brasileira do mundo, se faz óbvio associá-lo à mais brasileira de todas as bebidas: a caipirinha, é claro! Assim sendo, a Strip Me apresenta a camiseta Caipirinha Receita, uma camiseta linda, minimalista e super estilosa, além de super confortável, é claro. Uma camiseta para quem está sempre em busca de combinações perfeitas! Para quem não liga tanto nos destilados, mas faz questão de se refrescar e matar a sede durante a festa, a Camiseta Cerveja é a melhor pedida, além de pedir uma cervejinha gelada no capricho, é claro! A cerveja é uma das paixões nacionais. Sim, porque no Carnaval não dá pra ter uma paixão só, é ou não é?

O Carnaval está chegando. Aproveita pra dar uma olhada no nosso site e conferir as camisetas que selecionamos aqui e muitas outras. Nas coleções Carnaval, Verão, Tropics, Cultura Pop, Cartola, Bebidas e Música você encontra uma infinidade de camisetas incríveis, super confortáveis e estilosas! Na nossa loja você também pode ficar por dentro de todos os Lançamentos da Strip Me, que pintam toda semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Depois de conferir as dez camisetas campeãs do Carnaval Strip Me, você curte uma playlist com os mais clássicos sambas enredo campeões do carnaval. Samba Enredo Campeão top 10 tracks.

6 fenômenos que só vemos no Carnaval.

6 fenômenos que só vemos no Carnaval.

Estamos na metade de janeiro, mas já mirando no Carnaval que desponta no horizonte. Para ir esquentando os tamborins, a Strip Me listou 6 fenômenos maravilhoso que nós só presenciamos no Carnaval!

Basicamente, todos os superlativos utilizados para descrever o Carnaval são justificados e verdadeiros. Pode chamar de o maior espetáculo da Terra, a maior festa popular do mundo, os dias mais divertidos do ano e por aí vai. É tudo verdade. E quem melhor que o próprio brasileiro para afirmar isso com propriedade? Quem já dormiu no corredor de uma casa de dois cômodos ocupada por 17 pessoas, quem já reuniu uma turma de mais de 10 pessoas pra curtir o bloquinho e dez minutos depois já se perdeu de todo mundo, quem passa o ano ouvindo Black Sabbath no Spotify, mas sai pulando de abadá atrás do trio cantando todas da Ivete, quem já curou a ressaca tomando uma latinha de cerveja nove e meia da manhã, quem já achou que era domingo e na verdade já era terça feira, quem já encheu um isopor de gelo e latas de cerveja e pegou vários potinhos de glitter e foi pra rua vender tudo e levantar uma grana (mas curtir a festa também, que ninguém é de ferro), quem já entrou no metrô pra ir embora e se viu cantando a plenos pulmões Sandra Rosa Madalena em coro com o vagão inteiro. Enfim, quem já viveu tudo isso pode afirmar com tranquilidade, não existe nada como o Carnaval. E tem algumas coisas que a gente só vê no Carnaval. 

Para começar a concentração e preparar o corpo e o espírito pro Carnaval, a Strip Me vem falar sobre esses fenômenos maravilhosos que só se manifestam no Carnaval.

A metamorfose ambulante da música.

Não existe Carnaval sem música. E a música do Carnaval é essencialmente o samba, certo? É. Mas também tem outro detalhe importante a ser observado sobre o Carnaval: a elasticidade dos limites. Hoje em dia ouve-se de tudo no carnaval. Um exemplo claro disso é o Carnaval de rua paulistano. Os bloquinhos de São Paulo são muito plurais. Tem bloquinho que toca Beatles, que toca Rita Lee, que toca Pablo Vittar. Tem bloquinho de punk rock, de tecno, de sertanejo…e até de marchinhas carnavalescas, veja você! A mesma coisa pode ser observada nos trios elétricos do nordeste e no Carnaval de rua de todas as grandes cidades brasileiras. Importante também citar os sambas enredo, que embalam os desfiles das escolas de samba. Os desfiles das escolas de samba são um show à parte do Carnaval e fazem parte do imaginário carnavalesco, principalmente pros gringos, essa coisa da mulata porta bandeira sambando exuberante e os sambas enredos com todos os seus clichês maravilhosos e os puxadores animando ainda mais a festa. Mas o que mais impressiona e realmente só se vê no Carnaval é essa metamorfose do gosto musical das pessoas. É o fã de AC DC que passa o ano inteiro de camiseta preta, ou a moça que não perde uma festa de Barretos e canta todas do Bruno e Marrone, que chegam no Carnaval, vestem o abadá e saem pulando incansavelmente, cantando todas as músicas do trio elétrico! Cada um tem seu gosto musical, mas o Carnaval não tem nada a ver com isso.

O acúmulo de funções da rua.

A rua é uma faixa de concreto quem tem apenas uma função: servir de via pública para o trânsito de veículos motorizados ou não. A rua é margeada por calçadas, que são as vias por onde transitam os pedestres, as pessoas caminhando. E é isso. Simples assim.  Mas durante o Carnaval isso muda.  A rua continua tendo sua função de via pública de trânsito no Carnaval, mas também acumula as funções de pista de dança, palco de atrações artísticas, local para o comércio de bebidas, alimentos e outras coisinhas. Da mesma forma, a calçada, com suas sarjetas convidativas, acumulam a função de local de descanso, repouso, recuperação e enlaces amorosos. Tudo que envolve a rua acaba acumulando funções no Carnaval. Placas, além de informar direções, também são utilizadas como pontos de referência e encontro. Muretas e marquises tornam-se úteis apoios para copos e alimentos e por aí vai. O Carnaval não transforma só as pessoas, mas também as cidades.

Fantasiar.

Uma das tradições mais divertidas do Carnaval é usar fantasia para curtir a festa. Seja no bloquinho, no baile de salão do clube ou na arquibancada do sambódromo, todo mundo que ama Carnaval costuma caprichar na fantasia.  Nos tempos atuais, é importante notar a diferença entre a tradicional fantasia carnavalesca e a recente febre dos cosplays. Popular em convenções geek como a CCXP, o cosplay é quando a pessoa se esforça para ficar o mais parecido possível com determinado personagem, já a fantasia de Carnaval não se leva a sério e não tem esse compromisso com o fidedigno. Por exemplo, o vilão Coringa é muito popular em ambos os ambientes. A pessoa que faz cosplay vai se ligar em cada detalhe da maquiagem e da roupa, para ficar mais parecido, seja lá com qual versão do personagem. Já a fantasia de Carnaval, não só se atenta aos detalhes como pode acrescentar adereços que não tenham nada a ver. Assim, no Carnaval, uma pessoa fantasiada de Coringa pode facilmente ser confundida com o genial cantor cearense Falcão. Agora, o grande fenômeno do Carnaval é que, todo ano, depois que a festa acaba,  existe uma delírio em que a pessoa sempre pensa em tom de promessa: “Pro Carnaval do ano que vem vou me organizar pra arranjar a fantasia com antecedência, e não de última hora, no improviso, igual esse ano.” Todo fim de Carnaval, as pessoas fantasiam isso, mas no ano seguinte acabam indo atrás da fantasia um dia antes da festa do mesmo jeito.

Revogação das leis da física.

Durante o ano letivo é muito bonita essa história de que dois corpos não ocupam o mesmo espaço. Mas durante o Carnaval isso é uma conversa fiada danada! Primeiro porque nessa lei da física aí, os tais corpos que não ocupam o mesmo espaço não são necessariamente corpos de seres humanos, mas qualquer tipo de matéria. Por exemplo, duas rochas com dimensões e pesos idênticos não podem ocupar o mesmo espaço, o mesmo lugar. Cada uma no seu quadrado. E isso é a antítese do Carnaval. Segundo que no Carnaval dois corpos são dois corpos mesmo, de pessoas. E esses dois corpos vão estar junto com milhares de outros corpos. Todos se mexendo freneticamente (algo também conhecido como dança), suados e grudentos e cobertos por glitter. Com o som alto, todo mundo levemente embriagado, seguindo o suíngue da música e, muitas vezes alguns corpos justamente com a intenção maliciosa de ocupar o mesmo espaço de outros corpos… numa situação dessa, me diz como é que vai se decidir qual espaço pertence a qual corpo? E mais, no meio desse enrosco um no outro, no ápice do forrozinho Falamansa, sequer é possível definir com clareza qual corpo é qual. Acaba que é tudo a mesma coisa. No Carnaval o que menos importa é a física. Aliás, se você reparar bem, vai achar o Einstein de língua de fora e caipirinha na mão puxando a coreografia de Macarena ali no meio do povo.

Volatilidade da resistência ao alcool.

É comum, e até saudável, que cada pessoa tenha seus milites em relação ao consumo de bebidas alcoólicas. Tem gente que chega num ponto e pára de beber, pede uma água, um suco, para seguir firme no rolê. Tem gente que passa batido por esse ponto, e vai acabar a noite vomitando no banheiro do bar. Tem gente que aguenta um pouco mais e quer emendar uma balada na outra…Mas tudo dentro de um limite, sabendo que em algum momento é necessário ir pra casa tomar um banho e ir trabalhar. Mas isso é ao longo do ano, né. Porque naqueles 4 dias mágicos entre sábado e terça feira de Carnaval, isso muda. Muda também algo dentro de nós. Parece que nosso organismo se prepara o ano inteiro para quando o Carnaval chegar, e permite que você consuma doses excessivas de álcool e seguir festejando. É aquela época do ano em que não só é socialmente aceito abrir uma cerveja às nove da manhã, como é assim que se cura a ressaca do dia anterior. Isso no caso de você ter dormido, é claro. Porque, se vocë não dormiu, não parou de beber, logo a ressaca ainda não lhe alcançou. Também, não é para menos que tenhamos tanta resistência aos efeitos do álcool no Carnaval, afinal é a única época do ano que vemos alguém vendendo três cervejas latão por 10 reais e achamos isso super normal. 

A diversidade une as pessoas.

Outra coisa que não é exagero nenhum afirmar é que o Carnaval é uma festa democrática. Total verdade! Não só pelas inúmeras maneiras que você pode escolher aproveita-lo. Desde ficando em casa vendo filme e maratonando série, até fazer uma viagem pra praia com os amigos. Ou ir pro nordeste curtir os trios, ou os bloquinhos de Minas e São Paulo, ou carnaval dos desfiles glamourosos do Rio de Janeiro. Ou curtir na cidade onde você mora mesmo, onde certamente vai ter alguma coisa acontecendo. Mas além disso, tem o fator que, talvez por conta das fantasias, da energia e alegria contagiantes, da música… as pessoas se dão bem! Você pode se perder da sua turma no bloquinho, começar a conversar com uma galera diferente e, de repente, fez uma amizade boa. Todo mundo se sente livre para se expressar. Todo mundo se solta pra dançar como acha melhor. Não tem rico e nem pobre, gay, hétero… é todo mundo da galera! Isso fica muito evidente em cidades grandes, quando de repente você entra num vagão de metrô ou num ônibus cheio de gente coberta de glitter, com a cara cansada… mas aí, um abençoado puxa a primeira frase do refrão do hino nacional, e todo mundo canta em coro “E nessa loucura de dizer que não te quero!” E o mundo parece que é um só. Só no Carnaval.

A gente não vê a hora de chegar o Carnaval! Claro, porque é mais que uma festa, mas uma expressão cultural tão nossa, tão brasileira, que a Strip Me celebra com amor e cai na folia sem pudor! Por isso temos uma coleção inteira dedicada ao Carnaval, além de várias outras camisetas que celebram a brasilidade na coleções Tropics, Verão, Cultura Pop, Cartola, Florais e outras. São todas camisetas ideais para o Carnaval. Além de lindas, são feitas com um tecido levíssimo, super confortável, e com um corte que dá um caimento perfeito, do P ao XGG. Dá uma olhada no nosso site todas as nossas coleções. Na nossa loja você também confere todos os lançamentos, que pintam toda semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist caprichada pra ir esquentando os motores para quando o Carnaval chegar! Pré-Carnaval top 10 Tracks.

Tupi or not Tupi: 5 hábitos indígenas que mantemos até hoje.

Tupi or not Tupi: 5 hábitos indígenas que mantemos até hoje.

O Brasil deve muito a seus povos originários, isso todo mundo sabe. Para reforçar essa ideia, a Strip Me traz hoje 5 hábitos que mantemos atualmente, e que são herança direta dos indígenas que viviam aqui antes da chegada dos europeus.

Todo mundo que já entrou numa trip de auto conhecimento, seja na ayahuasca ou na psicanálise, teve que entrar em contato com um passado distante, entender um pouco seus antepassados e etc. Bom, faz todo o sentido, né. É como diz aquela frase, povo que não sabe de onde veio, não sabe pra onde vai. Conhecer o passado, a história, é fundamental para a gente entender o presente e evoluir na futuro. E entrar nessa onda de conhecer o passado pode ser bem interessante, a gente acaba se ligando e entendendo muita coisa mesmo! Imagina que muito antes do Cabral e sua turma chegar aqui, há milênios já existiam várias nações vivendo ao longo de todo o território da América do Sul. Dos Incas aos Tupiniquins, vários povos se espalhavam por essas bandas. Na porção mais a leste do continente, abrangendo o litoral do norte, nordeste e sudeste, predominava a nação Tupi, que tinha várias tribos diferentes, como os Tupiniquins, Tupinambás, Tamoios, Carijós e outros. Já na porção central, do cerrado até boa parte da floresta amazônica, se estabelecia a nação Jê, como os Xavantes, Bororós, Botocudos, Crenaques, Caiapós, Goitacás e outros. No sul, na região dos pampas vivia a nação Charrua, os Guayantiranes, Minuanos, Mepenes, Tocagues e outros. Por fim, mais a oeste, na região do pantanal, onde hoje temos as fronteiras com o Paraguai e Bolívia, vivia a nação Guarani, cujas tribos mais conhecidas são os Kaiowás, Mbiás, Tapietês, Nhandevas e outras. Isso pra ficar só no território brasileiro, ainda tinham outras nações ao longo da cordilheira dos Andes, no deserto da Patagônia e na mata tropical próxima ao mar do Caribe.

Photo by: Sebastião Salgado

Apesar de povos muito diferentes, com culturas e crenças distintas, essa turma toda tinha muita coisa em comum. Por conta da colonização do Brasil ter acontecido de leste para oeste, os primeiros europeus, e em especial os bandeirantes, tiveram muito mais contato com os povos Tupi do que qualquer outro. Aliás, sabemos hoje que os bandeirantes, também conhecidos como paulistas, eram homens violentos e inescrupulosos, que viviam da captura e escravização de índios. Foi por isso que eles acabaram desbravando todo o interior do Brasil. E esses paulistas viviam praticamente como os indígenas. Andavam pela mata de pés descalços, dormiam em redes e falavam fluentemente a língua tupi. Mesmo com o genocídio indígena produzido pelos europeus (mais de 5 milhões de indígenas viviam no Brasil em 1500, no início do século vinte, restavam menos de 500 mil), muitos dos seus hábitos e cultura foram incorporados pelos homens brancos ao longo do tempo e perduram até hoje. Orgulhosamente, a Strip Me resgata um pouco da história dos povos originários do Brasil falando sobre cinco hábitos que herdamos dos indígenas.

Pés Descalços.

Antes de mais nada, é sempre bom lembrar: Andar descalço pode trazer uma série de benefícios para o corpo e a mente. Os pés descalços ajudam a fortalecer os músculos dos pés, tornozelos e pernas, promovendo uma melhor postura e equilíbrio. Além disso, essa prática pode aumentar a sensação de conexão com o ambiente ao redor, estimulando os sentidos e proporcionando uma sensação de liberdade. Talvez os indígenas não tivessem consciência disso tudo, mas viviam de pés descalços, mesmo depois que o os europeus chegaram com suas botas e sapatos. E não demorou para que esses mesmos europeus se ligarem que andar na mata com os pés descalços era realmente bem melhor, pois acabavam prestando muito mais atenção por onde andavam e conhecendo com mais detalhes cada particularidade da mata. Sem falar no calorão e o bem estar que dá ficar com os pés descalços, descansando numa boa. Ainda hoje, é o que a gente faz.  A primeira coisa que a maioria das pessoas faz quando chega em casa é tirar o sapato, quem tem uma graminha em casa então, aproveita ainda mais! E aquela caminhadinha na areia da praia no fim da tarde? Andar descalço é tudo de bom!

Caiu na rede, é gente!

Dormir na rede é coisa nossa! Literalmente! Isso porque não existe registro da rede como os indígenas a utilizavam em lugar nenhum do mundo até a chegada dos europeus por aqui. Então é bem capaz de a rede ter sido uma invenção dessa turminha que vivia por aqui. E é indiscutivelmente uma maravilha! Na rede o corpo fica numa posição levemente inclinada, relaxando a coluna e as pernas, e ainda ajuda no fluxo da circulação sanguínea. O leve balanço ajuda a proporcionar um sono mais tranquilo e reparador, além de, mesmo nas noites quentes de verão, poder sentir um leve frescor. Dar uma relaxada na rede tem raízes profundas na cultura indígena, refletindo não apenas a busca por conforto, mas também uma relação com o ambiente e a natureza. A praticidade, a leveza, a facilidade de transporte e a adaptação a diferentes tipos de terreno tornaram as redes um item indispensável para os povos indígenas, e essa tradição tem sido preservada ao longo dos séculos. Hoje a rede é mais que um legado, é uma forma prática e toda nossa de descansar.

Banho é todo dia!

Se hoje em dia o europeu ainda tem fama de não tomar banho todo dia, imagina 500 anos atrás! Para nós, brasileiros, um banho por dia é o mínimo. Com o calor que tem feito, tem gente que toma banho igual remédio: um ao acordar, outro na hora do almoço e mais um antes de jantar. Imagine você que nosso primeiro monarca, o rei Dom João VI, no período em que esteve no Brasil, de 1808 a 1821, tomou apenas um único banho! E só o fez por recomendação médica, pois estava com alguma pereba ou irritação brava na pele, que só um banho poderia curar. Já o seu filho, o nosso galante imperador Dom Pedro I, logo que chegou no Brasil, se adaptou à vida dos nativos, tomava banhos diários nas praias do Rio de Janeiro e explorava cada centímetro da mata atlântica que cercava a quinta da Boa Vista. O fato é que desde muito antes da chegada dos europeus, os povos originários brasileiros tinham hábitos de higiene como tomar banho todo dia e manter unhas e pelos bem aparados. E muitos dos colonizadores que chegaram na América riam e desdenhavam desses costumes. Ainda bem que, nesse quesito, a gente puxou para os nossos ancestrais indígenas e prezamos por bons hábitos de higiene, e não dispensamos um bom banho, seja de chuveiro, de piscina, de rio ou de mar

Comida.

Certamente uma das heranças mais fortes e presentes dos indígenas até hoje é a culinário e os hábitos alimentares. A alta gastronomia tipicamente brasileira é cada vez mais celebrada no mundo todo, através de chefs renomados como Alex Atala e Thiago Castanho. E mesmo essa gastronomia super requintada e elitista é quase toda baseada em hábitos e conhecimentos que herdamos dos indígenas. A começar pelo uso da mandioca em seus mais diferentes formatos: cozida em pedaços, farinha e em caldo, o famoso tucupi. Além disso, os indígenas sempre foram exímios caçadores e pescadores. E costumavam secar as carnes de peixe ou de caça e misturar com a farinha de mandioca, socando no pilão, produzindo uma paçoca salgada que podia ser guardada por muitos dias e era extremamente nutritiva. Uma tribo na nação Tupi que vivia no nordeste brasileiro, por exemplo, era conhecida como Potiguara, palavra que em tupi significa comedores de camarão. Imagina se eles conhecessem a cervejinha naquele tempo! Mas é real, a nossa relação com a comida, com os bichos e frutas tem muito a ver com a cultura indígena. O peixe assado na folha de bananeira, o pato no tucupi, a paçoca, a farinha de mandioca, as frutas que nos habituamos a comer direto do pé, jabuticaba, caju, pitanga, carambola, manga, goiaba… aliás, nomes esses todos de origem indígena, né? Não dá pra negar, a nossa cozinha é raiz demais!

PT BR, A língua portuguesa é nossa!

Outra grande marca da cultura indígena que está permanentemente atrelada a nós até hoje é a nossa língua. Não é novidade pra ninguém que o português falado em Portugal é bem diferente que o falado aqui. E uma das razões para isso foi a mistura da língua de Camões com as línguas indígenas e africanas. Em especial a língua tupi se mesclou muito ao português, muitas vezes criando um novo vocabulário. Pra começar, temos ainda muitos nomes de lugares que são de origem indígena. Os estados da Paraíba e o Paraná, cidades então, tem centenas, desde Campo dos Goitacazes até Botucatu, passando por Ubatuba, Parati e tantas outras. Só na cidade de São Paulo, o tanto de lugares com nomes indígenas é incrível. Anhangabaú, Jabaquara, Tucuruvi, Tietê, Tatuapé, Itaquera, Guaianases, Ipiranga, Ibirapuera, Butantã… Isso sem falar nas inúmeras palavras que usamos e que tem origem etimológica no tupi. Confira algumas:
Carioca – Do tupi kari’oca, que significa casa (oca) do homem branco (kari).
Pindaíba – Do tupi pinda’ïwa, que significa  pinda (anzol) + ‘ïwa (vara). Essa expressão, indicava que o índio possui apenas uma vara pra pescar, mostrando que ele estaria na miséria, daí o termo “estar na pindaíba”.
Mingau – Do tupi minga’u, quer dizer comida que gruda.
Peteca – Do tupi pe’teka, que indica bater com a palma da mão.
Nhem-nhem-nhem – do tupi “Nhem”, que quer dizer “Falar”. Os portugueses durante o século XVI, ficavam irritados com o falatório dos índios, sem entender o que eles diziam. Assim popularizaram a expressão “Os índios só ficam de nhem nhem nhem.”, significando falatório irritante.
Catupiri – Não. Não é um tipo de queijo. A palavra vem do tupi e significa “ótimo”, “excelente”. Em 1911 uma empresa desenvolveu esse queijo cremoso e adotou Catupiry como marca.
Aipim – Do tupi aipĩ, é algo que nasce ou brota do fundo da terra.
Samambaia – Do tupi çama-mbai, significa algo “trançado de cordas”, e faz referência às raízes da planta.
Moqueca – palavra tupi que quer dizer peixe assado embrulhado em folhas, que geralmente é folha de bananeira ou de caeté.
Paçoca – Do tupi pa’soka ou po-çoc, tem o sentido de esmigalhar o alimento com a mão.
Capenga – Do tupi “akanga”, que é “osso” e “penga”, que significa “quebrado”. Portanto, é algo ou alguém que puxa a perna, é manco.
Inhaca – Em tupi “yakwa” tem o sentido de “odoroso”, alguma coisa que tem o cheiro forte.
Caipira – do Tupi caaipura, sigbnifica de dentro do mato. Nome que os índios do interior de São Paulo deram aos colonizadores.

A gente nem pára pra pensar, aí, quando a gente vê isso tudo até se espanta ao se ligar o quanto a nossa vida está ligada à cultura indígena! Uma cultura milenar, interessantíssima e ainda tão pouco conhecida por termos tão poucos registros históricos. Sem falar que, ainda por cima, tem gente que quer negar aos poucos descendentes diretos desses povos o seu direito a manter essa cultura viva e poder viver e cuidar das terras que são deles por direito! E a Strip Me que além de ter em seus princípios mais básicos o cuidado com a natureza e com os animais, não pode ver uma brasilidade que já sai correndo pra abraçar, faz questão de estampar em suas camisetas esse Brasil moleque, ou melhor, curumim! Confere lá na nossa loja as coleções Tropics, Carnaval e Verão, onde a brasilidade impera! No nosso site você ainda tem à disposição muitas outras coleções e os lançamentos, que pintam toda semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist totalmente dedicada aos índios! Tupi or not Tupi top 10 Tracks.

Para assistir: A Muralha. Série produzida pela Globo e exibida no início do ano 2000, para celebrar os 500 anos do descobrimento. A série é excelente e mostra com relativa fidelidade o início da colonização no litoral paulista, a constante travessia da grande muralha que é a Serra do Mar e a busca dos paulistas por índios para escravizar e de ouro no sertão. Tem na Globoplay e vale a pena demais conferir.

Para ler: Recomendadíssimo o box com 4 livros Coleção Brasilis. Integram o box quatro livros do jornalista Eduardo Bueno sobre a colonização do Brasil. São Eles A Viagem do Descobrimento, Náufragos, Traficantes e Degredados, Capitães do Brasil e A Coroa, a Cruz e a Espada. Todos eles livros deliciosos de se ler, com uma linguagem moderna e fluiída, além de trazer detalhes interessantíssimos sobre esse período tão instigante da nossa história. O box é um lançamento da Editora Sextante.

PERSPECTIVA STRIP ME: VERÃO

PERSPECTIVA STRIP ME: VERÃO

Mais que uma estação do ano, o verão é um lifestyle, quase uma filosofia de vida. Ainda mais para nós, brasileiros, o verão é um período de celebração e festa. Hoje a Strip Me propõe um olhar mais amplo sobre o verão.

Bem vindo a 2024! Iniciamos mais um ano, como sempre, com muitas ideias e propósitos! Para que você fique cada vez por dentro de como a Strip Me pensa, funciona e cresce, adotamos um formato de texto que aparecerá com certa frequência daqui para frente aqui no blog: A Perspectiva Strip Me. Neste formato vamos abordar determinados temas, com a nossa costumeira leveza e nosso bom humor, explorando seus diversos aspectos através da nossa perspectiva e ilustrando isso com algumas de nossas camisetas. Portanto, é com alegria que abrimos o primeiro texto de 2024 com a Perspectiva Strip Me sobre o Verão!

O óbvio.

O verão é uma das quatro estações climáticas do ano. A etimologia da palavra verão tem origem no latim, veranus tempus, que significa tempo primaveril. É a estação mais quente do ano. Dada a inclinação do planeta e seu movimento de translação e rotação, o verão acontece em dois momentos: de 21 de junho a 22 de setembro no hemisfério norte e de 22 de dezembro a 21 de março no hemisfério sul. Em ambos os hemisférios, tais períodos são marcados por dias mais longos, o sol nasce mais cedo e se põe mais tarde, e as temperaturas sobem consideravelmente.

A Perspectiva Strip Me:

Plantas pra que te quero!

Para a Strip Me o verão é muito mais que uma estação do ano. Para nós o verão é a época do ano que colocamos as folhinhas pra fora, vemos brotar aquela mudinha plantada com todo amor na primavera, fazemos uma competição velada com o vizinho para ver qual samambaia cresce mais até o fim da estação e podemos sentir no ar a excitação de todas as plantas da casa, como se estivessem participando da gincana da fotossíntese!  Pois é. Para quem se amarra em plantas e tem uma urban jungle daquelas dentro de casa, o verão é maravilhoso porque é quando efetivamente vemos resultado! É quando as plantas se desenvolvem pra valer. Diferente da primavera, que é a época de plantar, adubar e cuidar (que é uma delícia também, que fique claro).

A Strip Me tem toda uma coleção incrível de camisetas voltadas para quem é plant lover, as Camisetas Florais. São camisetas com estampas lindas como a Lança de São Jorge, Margaridas e Cajuína, por exemplo, que também são mega confortáveis, feitas com tecido com certificado BCI e caimento impecável em qualquer tamanho.

Pé na estrada e pé na areia.

Se o papo é aventura, contato com a natureza e viajar, você está falando a nossa língua! Aqui na Strip Me a gente sabe que o caminho é tão importante quanto o destino! Por isso, pode até ser legal viajar de avião, todo aquele conforto… tá, realmente quem viaja de classe econômica não tem tanto conforto não. Mas pelo menos chega rapidinho e fica no ar condicionado o tempo todo. Agora fazer aquela trip raiz mesmo é outra conversa! Caranga abastecida com lanchinhos, água e muita música boa e ir curtindo cada visual que só a beira de estrada pode oferecer, seja no interior ou no litoral. E já que o papo é verão, vamos focar no litoral, né? Porque, imagina só, percorrer o nordeste, passando por aquelas prainhas desertas maravilhosas que ficam entre João Pessoa e Recife! É só vibe boa! É o verão cumprindo em cem por cento o seu intuito de recarregar as baterias para quem começa um novo ano!

Nessa pegada praieira tropicaliente, a Strip Me apresenta a Coleção de Verão. São camisetas super descoladas, cheias de referências pop e naturalmente lindas, além de frescas e confortáveis, ideais para os dias mais quentes do verão tupiniquim. As camisetas Água do Mar, Beach Sounds e Vento Lateral fazem parte dessa coleção e comprovam tudo isso.

Calor à brasileira.

Pode ser a gaitinha ou a matraca, que avisam que o tiozinho que vende sorvete está passando pela rua. Ok, essa pode ser uma parada que só quem é mais velho vai se ligar, mas ainda rola hoje em dia em algumas cidades do interior. E a molecada de férias, corre pra pedir um trocado pra vó para poder comprar um picolé. Sim, porque, para quem é mais novinho, verão é na casa da vó, tomando banho de mangueira no jardim ou na varanda de piso de caquinho. Pra quem já é mais crescidinho, o verão é sinônimo de carne na brasa, cervejinha gelada e a turma reunida, ou ainda aquele clássico boteco de esquina, com as mesas na calçada, copo americano e porçãozinha de torresmo. Isso sem falar no filtro de barro, que vai manter a sua água fresquinha independente dos quarenta graus lá fora. É sério. O verão do brasileiro é diferente, tem muita coisa que é muito nossa, do nosso jeitinho. E se tem uma coisa que o pessoal aqui da Strip Me ama de verdade é essa brasilidade toda, que a gente carrega com orgulho!

Tanto é que não tem uma coleção específica sobre brasilidade, porque ela está em toda a parte. Então você encontra camisetas que são verdadeiros sucos de Brasil nas coleções Tropics, Carnaval, Cartola, Verão, Florais, Música, Cultura Pop e muito mais! As estampas Mesa de Bar, Duas Cervejas Filtro de Barro são exemplos inexoráveis disso.

Enfim, o verão no Brasil é único, e sob a perspectiva perspicaz da Strip Me, fica ainda mais irresistível! Mesmo com o calor de derreter a sola do chinelo na rua, o país ganha um brilho a mais no verão, com pessoas mais soltas, alegres e vibrantes. No Brasil, o verão é um estilo de vida, uma temporada que desperta o melhor de nós: a hospitalidade, o amor pela comida boa, pela diversão e, é claro, o jeitinho brasileiro de levar a vida com um sorriso no rosto. Vem dar uma olhada no nosso site e conferir todas as dicas dadas neste post! Todas as coleções citadas aqui estão lá, além de muitas outras. E na nossa loja você fica por dentro de todos os nossos lançamentos, e eles pintam por lá todas semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist toda trabalhada no calor. Se a música fala de verão, e é boa, vai estar na nossa lista. Summer Songs Top 10 Tracks.

Para Assistir: Na onda de falar de verão e brasilidade, vamos destacar hoje um clássico da Sessão da Tarde, o filme Esporte Sangrento, lançado em 1993, escrito e dirigido por Sheldon Lettich. O roteiro é meio bobo e previsível, as é um filme bem divertido porque tem como protagonista um militar das forças especiais dos Estados Unidos que passou uma temporada no Brasil e virou mestre de capoeira. E é na base do rabo de arraia, ida ginga e da meia lua que esse maluco vai botar pra correr uns traficantes que dominam sua antiga escola. É um filme bom? Não é. Mas vale a pena pela diversão e nostalgia.

Trends 2024

Trends 2024

Novo ano, novas tendências! 2024 chega com promessas de cores vibrantes, designs inovadores e comportamentos que desafiam o status quo.

Bem vindo ao universo das tendências, essa mistura irresistível de adivinhação holística e análise científica! O mundo segue seu ritmo frenético e destrambelhado, e ninguém consegue sequer desacelerar. O tempo está passando mais rápido que o normal? As mudanças climáticas vão acabar com a humanidade? Nós precisamos mesmo de um remake de Scarface? Tudo se resume a um grande talvez. Enquanto isso, as previsões para 2024 apontam para um mix de criatividade e excentricidade, ao passo que seguimos na inglória busca do equilíbrio entre o avanço das IAs e a retomada do mundo offline.

Tudo leva a crer que 2024 será um ano empolgante. Para além das especulações, as únicas certezas que temos é que  este ano vai ter Olimpíadas, eleições municipais e, como todo ano, Carnaval e show do Iron Maiden no Brasil em algum momento. De resto, só podemos especular. Por isso, a Strip Me selecionou três segmentos, design, moda e comportamento, para dividir com você as principais trends para 2024!

Design: Ousadia e Futurismo

O mundo do design segue olhando para o futuro. Prepare-se para uma explosão de cores vibrantes contrastando com tons mais suaves, criando um cenário quase psicodélico em muitos ambientes. Formas geométricas, linhas curvas e uma mistura intrépida de texturas trarão uma sensação de dinamismo e ousadia a produtos e espaços. Quer uma poltrona com estampa de girafa rosa? Quem sabe uma luminária em formato de nuvem com cores mutantes? É disso que estamos falando! Cores exuberantes como o “verde abacate elétrico” e o “laranja cintilante” estão por vir. Claro, sempre rola um revival, essa coisa meio retrô. Então, pode apostar em tipografias cheias de curvas, que transmitem movimento, uma coisa meio neon, meio discotèque anos 70.

A real é que o design virou um caldeirão onde o pós moderno e o vintage se abraçam. Num mundo cada vez mais dividido em nichos, ascende um movimento que pode ser chamado de metamodernismo. Um jogo de colagens inovadoras, camadas inesperadas e a fusão de estilos e conceitos, como a combinação de 3D e 2D, criando novos ambientes. E essas combinações são feitas de acordo com o público que se quer atingir. Um mundo onde regras existem para serem quebradas. É o design on demand.

Moda: Um Arco-Íris de Cores

As cores também serão as protagonistas das passarelas e das ruas na moda fashion! A paleta de 2024 será como um arco-íris de possibilidades, reforçando a importância do respeito à diversidade. Cores pastéis contrastando com tons neons serão a grande aposta dos estilistas, trazendo uma explosão de vitalidade aos guarda-roupas. O azul bebê promete ser a principal cor de 2024, junto com o vermelho e o cinza. Para as mulheres, vestidos de alcinha e franjas old school estarão em alta. Para os homens, looks minimalistas, apostando em cores sóbrias e acessórios estilosos como pulseiras. Olha nosssas camisetas básicas vindo com força aí!

Na moda, cada vez mais se aposta no individualismo. Rolam as trends, com cores, acessórios e tal. Mas o certo é que, com bom gosto e o mínimo de discernimento, cada pessoa molda seu próprio estilo e arrasa em qualquer ocasião.

Comportamento: Consciência e Singularidade

Já no campo do comportamento humano, a tendência aponta para uma busca contínua pela consciência e singularidade. A valorização da saúde mental e do bem-estar estará mais em foco do que nunca. Além disso, a celebração da individualidade, com um movimento crescente em direção à liberdade de expressão e aceitação das diferenças, moldará as interações sociais. A gente vai começar a valorizar mais o offline, repensar as relações humanas e o impacto das nossas ações na natureza. Antes tarde do que nunca, né…

Em resumo, é tempo de reflexão e questionamento da nossa própria existência! As pessoas que fazem terapia vão liderar o mundo! 

Pois é. 2024 se anuncia como um ano de abraçar a inovação e a autenticidade. Seja nas escolhas do design, nas roupas que vestimos ou nos comportamentos que adotamos, a mensagem é clara: é hora de viver com coragem, celebrar a diversidade e abraçar o futuro com um sorriso no rosto! É como diz aquela canção: “A gente faz no gás, no osso. No talo ou na lona, no palco ou no poço, amarelo quase roxo, a gente faz.” E a Strip Me está aqui para te acompanhar em mais um ano de barulho, diversão e arte! Feliz 2024!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist de positividade pra você entrar em 2024 na melhor vibe possível! Good Vibe top 10 Tracks.

RETROSPECTIVA 2023 STRIP ME

RETROSPECTIVA 2023 STRIP ME

No fim do ano não tem nada mais natural do que a gente fazer aquele balanço de tudo que rolou, antes de iniciar um novo ciclo. Hoje a Strip Me divide com você como foi 2023 para nós através de nossas camisetas mais vendidas ao longo do ano.

2023 foi um ano muito especial para a Strip Me. E não estamos aqui falando apenas de vendas, mas sim de experiência e consolidação, de mudanças naturais e evolução. 2024 será o ano em que a Strip Me completará 10 anos de barulho, diversão e arte, e este ano que passou certamente foi um momento de preparação, para que a gente chegue a esta marca tão importante com o mais puro sentimento de dever cumprido até aqui e com a certeza que ainda há muito a ser feito e conquistado! E a melhor forma da gente mostrar isso para você é através do nosso trabalho e com o nosso habitual bom humor, é claro.

2023 foi um ano intenso. Muita coisa aconteceu! Apesar de uma posse presidencial memorável, tivemos o vergonhoso ato golpista do dia 8 de janeiro, mas pudemos ver, aos poucos, a reconstrução política e social do Brasil. Em todo o mundo, 2023 ficou marcado como um ano de muitos desastres, como terremotos, vulcões em atividade, tornados e tempestades, incêndios e uma onda de calor nunca antes registrada e a eleição de Milei na Argentina. Ainda falando de coisas ruins, perdemos a rainha do rock, Rita Lee e vimos mais uma guerra eclodir no oriente médio. Mas certamente uma das coisas que tornam este ano inesquecível é a ascensão vertiginosa e implacável da inteligência artificial. O que começou com o ChatGPT gerando textos, agora já engloba criação de imagem e áudio! Deu polêmica um comercial de TV em que Maria Rita faz um dueto com a sua mãe, Elis Regina, e teve até música inédita dos Beatles com as vozes de Lennon e Harrison recriadas por inteligência artificial.

A seleção de estampas mais vendidas de 2023 da Strip Me traz um retrato reverso dessa tendência artificial. Ainda bem! Enquanto as IAs avançam, nós, em sintonia com nossos clientes, prezamos pelo simples, pelo orgânico, pelo feeling! Confere aí!

Natural

Três das camisetas mais vendidas em 2023 revelam que há vida além das telas. Duas delas trazem como protagonista o nosso indefectível vira lata caramelo, o dog mais amado do Brasil! A terceira é mais que uma planta, é um símbolo de proteção e resistência! A camiseta Caramelo Republic foi criada em 2022 e tornou-se imediatamente um hit de vendas. Afinal, ela transmite a mensagem que tudo neste mundo pode melhorar. A California é um baita lugar massa, com muita diversidade e cultura, agora imagina isso com uma dose generosa da alegria tipicamente brasileira! Nessa mesma onda, criamos esse ano a camiseta Doguinho Caramelo, parodiando um rótulo famoso de cigarros. Tiramos tudo que havia de ruim ali, no caso, um cenário árido de deserto e os cigarros, e deixamos apenas a bela tipografia e uma cativante imagem do nosso herói de quatro patas. Tanto quanto amamos os animais, também amamos as plantas! Vem crescendo consideravelmente no Brasil o número de pessoas que investe em plantas, as utilizando como ornamento para casa, mas também como um hobby, uma terapia. Por isso, a camiseta Lança de São Jorge também se tornou rapidamente uma das mais vendidas na nossa loja. A tecnologia pode avançar o quanto quiser. Nada vai substituir o nosso contato com a natureza e o nosso amor pelos animais e plantas!

Arte

Tem um videozinhos que circula pelas redes sociais onde um jornalista usa como exemplo um trecho da letra da música Rocket Man, do Elton John, para provar que inteligência artificial nenhuma supera a criatividade humana. O cara diz que é muito improvável que, numa canção que fala sobre solidão usando um viajante do espaço, a inteligência artificial iria elaborar uma frase como “Marte não é o tipo de lugar para você criar seus filhos.” E é a verdadeira arte, feita com sentimento, inventividade e ousadia que nos encanta! As camisetas Almodóvar e Rosa Samba, e o moletom Whitestar ajudam a ilustrar isso, já que carregam uma enorme carga de genialidade! A camiseta Almodóvar celebra este que é um dos cineastas mais inventivos, ousados e brilhantes das últimas décadas! Carregar no peito a frase “Un film de Almodóvar” é um atestado de originalidade e amor ao cinema. Não por acaso é uma das camisetas mais vendidas do desde que foi lançada ano passado. Já a camiseta Rosa Samba reverencia a arte brasileira em sua essência: o samba criado por Cartola e outros gênios que imortalizou a comunidade carioca Mangueira e suas cores para sempre nas nossas vidas! E além de carregar tanta história, é uma camiseta linda! Hit absoluto de vendas! O moletom Whitestar é naturalmente estiloso e mega confortável, com uma pegada minimalista irresistível. Só isso já justifica ele ter sido um dos produtos mais vendidos neste ano. Mas ele ainda traz a referência ao excelente disco Blackstar, lançado em 2016 pouco antes de seu autor, o gênio David Bowie, falecer. Nessa brincadeira de inverter as cores, homenageamos a obra magnífica de Bowie. Aqui é barulho, diversão e arte que inteligência artificial nenhuma jamais conseguirá superar!

Gente

Admitimos sem nenhum problema que é até divertido trocar ideia com o ChatGPT,  ficar fazendo umas perguntas absurdas e tal… mas você já experimentou sentar numa mesa de bar e tomar uma cerveja enquanto conversa com três ou quatro amigos num fim de tarde? Vamos combinar que absolutamente nada substitui isso! As camisetas Happy Hour e Engradados comprovam isso. O boteco é uma instituição brasileira! Um ambiente democrático, aconchegante, despretensioso. É tudo que qualquer pessoa pode querer. Certamente esse sentimento fez da nossa camiseta Happy Hour um hit absoluto de vendas desde o seu lançamento ano passado. E a camiseta Engradados veio se somar a Happy Hour para reforçar esse sentimento de pertencimento e devoção ao boteco, onde a gente se sente em casa e materializa essa convivência próxima, calorosa e divertida com as pessoas que amamos! Por óbvio, a Engradados também foi uma das mais vendidas em 2023. Portanto, façamos um brinde à amizade e à vida com mais calor humano!

Vida

O segredo mais simples da nossa existência. A Vida. Ela pode ser uma megera ou uma dádiva. Pode ser as duas coisas ao mesmo tempo. Em um ano em que tanto se falou sobre artificialidade e mundo virtual, nada pode ser mais simples do que a vida real. E essa percepção só nos faz valorizar cada vez mais essa vida real. A vida simples, a vida que é uma tela em branco. Finalizando essa lista das camisetas mais vendidas de 2023, temos as camisetas Básica Preta e Retrô Sunset. Duas camisetas que dizem muito sobre essa reflexão sobre vida real versus inteligência artificial. Nós queremos a simplicidade e a oportunidade de criar e ser o que a gente quiser. Por isso, a escolha de uma camiseta básica, seja qual for a cor, representa essa liberdade. Uma camiseta que é mega confortável, com caimento perfeito e é uma tela em branco, seja para você ostentar a simplicidade sem nenhuma estampa, como também personaliza-la como lhe convier! No caso, a elegante camiseta Básica Preta foi uma das mais vendidas do ano. Da mesma forma, a camiseta Retrô Sunset também foi um hit de vendas trazendo uma estampa simples e delicada, com cores de muito bom gosto, emulando um por do sol que te abraça e te diz que vai ficar tudo bem. Uma camiseta que foi uma das mais vendidas em 2023 e é ideal para começar 2024, com a positividade lá em cima!

Essa foi a nossa retrospectiva de 2023, um ano de algumas mudanças, surpresas e realizações. Um ano de renovação da vida, de celebração à democracia e reabastecimento das baterias para continuar lutando por um mundo melhor, um continente mais unido, um país mais justo, um estado mais consciente, uma cidade mais próspera, um bairro mais tranquilo, um lar mais harmonioso e uma pessoa mais feliz. Que venha 2024! Seguiremos com muito barulho, diversão e arte! Feliz Ano Novo!

Vai fundo!

Para ouvir: Uma playlist com o que pintou de melhor na música em 2023. 2023 top 10 Tracks

10 presentes infalíveis Strip Me

10 presentes infalíveis Strip Me

Fim de ano é tempo de presentear. E pra você acertar no presente em qualquer situação, a Strip Me apresenta 10 dicas de camisetas que são sucesso garantido.

Ganhar presente é uma delícia! Mas presentear também tem sua emoção. Ainda mais quando o presente realmente agrada a pessoa presenteada. Ver uma pessoa genuinamente feliz por ter ganhado algo legal é igualmente delicioso! E, convenhamos, nem sempre é fácil escolher o presente ideal. Ainda mais no fim do ano, que tem amigo secreto, da firma, da família, amigos e parentes mais chegados que a gente sempre faz questão de presentear e outras situações. Mas a mais emblemática delas certamente é o amigo secreto. Afinal, você corre o risco de tirar aquela carinha do setor de vendas, com quem quase não tem contato, ou tirar aquele seu primo mais novo com quem você não troca tanta ideia.

Mas para todas as situações, a Strip Me tem uma infinidade de camisetas incríveis como opção para você presentear. Para facilitar a sua vida, separamos 10 camisetas que são realmente presentes infalíveis! E dizemos isso com propriedade, afinal, são algumas das camisetas mais vendidas do nosso catálogo, bem como algumas delas são campeãs de venda como presente. Além disso, cada um tem a sua peculiaridade e charme especial. E é isso que vamos demonstrar abaixo.

Caramelo Republic

Estamos falando de um símbolo nacional! Não tem para arara ou lobo guará nenhum! O bicho símbolo desse nosso Brasilzão é o doguinho caramelo! Isso é fato consumado tanto quanto Evidências é nosso hino nacional. Quem em sã consciência não se identifica com uma camiseta como essa? Sem falar nas entrelinhas! A referência à bandeira californiana, deixando claro que nosso doguinho é pop, é liberdade, é diversidade, é sol na cara e alegria no coração!

Guitarra Vintage

A semiótica é fascinante! E não precisa ser nenhum estudioso no assunto para se ligar nisso. Basta notar que, para praticamente tudo neste mundo, existe um símbolo, um ícone, uma imagem correspondente. E a mágica realmente acontece quando um desses símbolos extrapola seu próprio significado, sendo contemplado simplesmente pela sua beleza estética. Por isso a camiseta Guitarra Vintage é uma das best sellers da Strip Me. Mesmo para quem não se liga em rock n’ roll, uma guitarra Stratocaster apoiada em um amplificador antigo é uma imagem admirável. Quando tal imagem é cuidadosamente desenhada, então, temos uma camiseta sofisticada e elegante, capaz de agradar qualquer pessoa!

Retrô Sunset

É senso comum que uma das coisas mais bonitas do mundo é o pôr-do-sol. Isso posto, já temos de saída um argumento irrepreensível. Mas vamos além. Todo mundo sabe que a humanidade viveu seu ápice cultural na década de 1970. Na música, na estética, na filosofia… Pensa bem, não tem chance de um cara de calça boca de sino, camiseta em tom pastel um número menor do que o ideal para a pessoa, cabelo black power e um cigarro no canto da boca querer te fazer mal. Unindo essa estética irresistível dos 70’s e a beleza das cores do pôr-do-sol, a camiseta Retrô Sunset é mais uma das camisetas unânimes da Strip Me!

Rosa Samba

Seguindo na exaltação à brasilidade, impossível não falar da comunidade carioca Mangueira, com sua legendária escola de samba e seus ilustres moradores, como o imortal sambista Cartola. É uma verdadeira instituição brasileira! E as emblemáticas cores que representam a escola de samba são uma combinação inusitada, mas muito envolvente! Tão envolvente que nos inspiraram a criar este camiseta, que já nasceu hit de vendas! Classuda, linda e minimalista, a nossa camiseta verde e rosa é um presentão!

Papoula

Eis aqui uma camiseta de beleza inebriante! É aquele tipo de camiseta que, sob um olhar superficial, é linda, elegante, minimalista e com um caimento perfeito, capaz de agradar homens e mulheres. Porém, o observador mais atento vai ver que, além de todas as qualidades já citadas, a flor que estampa a camiseta vem carregada de significado, tendo sido até protagonista de uma das guerras mais emblemáticas do século XIX no mundo, a guerra do ópio. Ou seja, é uma camiseta que não só é linda e super sofisticada, mas também tem uma profundidade considerável. Afinal, na Strip Me beleza e conteúdo sempre andam juntos.

Verde e Rosa

Que coisa incrível é a forca de uma imagem! Com certeza, entre as gerações mais novas, tem muita gente que já viu a capa do Abbey Road, identifica quando rolam paródias de gente atravessando uma rua na faixa de pedestres e tal… mas nunca ouviu uma música dos Beatles. Simplesmente porque trata-se de uma imagem realmente cativante. Aqui no Brasil temos várias imagens que se encaixam nessa categoria. Uma das mais emblemáticas é a foto do Cartola tomando cafezinho. Uma imagem brilhante que consegue transmitir toda uma cultura com uma simplicidade acachapante!  Para quem sabe cantar todos os sambas do Cartola e para quem simplesmente se liga em iconografia. Para quem manja e tem estilo, independente de suas preferências artísticas. Enfim, é um presente perfeito para geral!

Duas Cervejas

Tá aí o Brasil todinho numa imagem só. Fala a verdade, dá sede só de olhar, né? Será que falta muito pra dar seis da tarde? Cara, o nosso happy hour não tem pra ninguém! É o melhor do mundo! E levar isso no peito, numa pegada pop art mega descolada, com toda a iconografia tupiniquim inserida, o Cartola, o Abaporu, a espada de São Jorge, e a mesa de boteco. É irresistível! Uma camiseta linda, pra usar em qualquer ocasião! Mais uma camiseta que é hit de vendas e, claramente, um presente infalível!

Happy Hour

Simplicidade é a palavra! Mas veja bem, não confundir simplicidade com simplismo. A simplicidade tem classe, dispensa exageros e floreios para ir direto ao que importa. Neste caso, um patrimônio nacional: o boteco. Aquela mesinha e cadeiras de ferro ou de madeira, cervejinha gelada e uma galera em volta resolvendo todos os problemas do mundo entre piadas de gosto duvidoso. Tudo isso traduzido numa camiseta minimalista, elegante e super confortável, com caimento perfeito. É mais uma opção de presente certeiro! 

Pick Up

Sejamos francos. Quanto mais você conhece quem vai apresentar, maiores são as chances de acertar e agradar. Mas muitas vezes sabendo o mínimo, já dá pra marcar pontos e ser bem sucedido no presente. Por exemplo. Sabendo que a pessoa gosta de música, não importa o gênero ou estilo, uma camiseta como esta vai total de encontro e vai agradar! Afinal, uma pick up e o disco na agulha são um símbolo, uma imagem que remete diretamente à música. Que disco é esse? Que música está saindo dali? Aí fica na imaginação de cada um! Essa é a graça. Sem falar que é uma camiseta linda e super confortável! É pra não errar de jeito nenhum!

Nightporu

Encerramos essa lista com mais um ícone inabalável da cultura brasileira. Mas simplesmente estampar o Abaporu seria simplista demais (olha aí a diferença entre simplista e simplicidade). Então a Strip Me leva o Abaportu para a balada! Com aquela pegada minimalista sofisticada, reinterpretamos o clássico da Tarsila do Amaral para os dias atuais! Arte cosmopolita com referência (e reverência) a quem revolucionou a arte brasileira! Hit inconteste de vendas, uma camiseta maravilhosa pra ninguém botar defeito!

Cara, a Strip Me está desde 2014 transformando barulho, diversão e arte em camisetas sensacionais, tanto na estética quanto na qualidade da malha. Então, pode confiar quando a gente diz que essas dicas todas são realmente presente infalíveis! São camisetas campeãs de vendas e algumas delas frequentemente compradas com embalagem para presente, coisa que está disponível na nossa loja, inclusive. Então já se prepara para este fim de ano e confere no nosso site os lançamentos, que pintam lá toda semana, além se uma infinidade de camisetas separadas por categorias e coleções.

Vai fundo!

Para ouvir: Segue uma playlist especial onde cada uma das dez estampas selecionadas neste texto ganham uma música que a represente. Infalíveis Top 10 Tracks.

Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.