Tapas, Tropeços e outros memes semelhantes: A História do Oscar.

Tapas, Tropeços e outros memes semelhantes: A História do Oscar.

Como é possível mensurar a arte? Pensa bem. Quais são os critérios usados para dizer que as sinfonias de Mozart são melhores que as do Beethoven? Ou que as obras do Picasso são melhores que as do Dali? Ou que Forrest Gump é melhor que Um Sonho de Liberdade? Se a gente realmente parar pra pensar, é uma avaliação tão pessoal e subjetiva que é impossível estabelecer definitivamente que uma obra de arte é melhor que a outra. Simplesmente porque não são só os aspectos técnicos que importam. Na verdade, eles são os que menos importam. O talento nato, o sentimento, o carisma… tudo isso pesa muito.

Uma vez o Dave Grohl deu uma zoada nesses programas tipo The Voice. Ele disse: “Imagina só. O Bob Dylan num programa desses cantando Blowing in the Wind, e a Jennifer Lopez reprovando, dizendo ‘Hmmm… não gostei. Sua voz é muito anasalada e aguda.’”. Mas o fato é que, apesar disso tudo, a arte é frequentemente alvo de comparações, e todo ano são várias premiações que elegem o melhor disco do ano, a melhor banda, o melhor videoclipe, o melhor ator, a melhor atriz, o melhor diretor de cinema e, é claro, o melhor filme. 

Fim de semana passado rolou a nonagésima quarta edição da premiação do Oscar. O Oscar, você já tá ligado, é a mais importante e significativa premiação da indústria do cinema. E como qualquer coisa levada ao público que implica em competição, julgamento e escolhas, as premiações do Oscar sempre geraram polêmicas e discussões, nem sempre por conta dos filmes em si. Em especial depois da década de 2010, com a popularização das redes sociais, o Oscar se tornou um evento ainda mais saboroso de se acompanhar, dada a avalanche de memes e comentários engraçados que passaram a pipocar internet afora. Mas não se engane, muito antes de tapa na cara, tropeços na escada, confusão na hora de anunciar o filme vencedor e selfies estreladas, o Oscar já rendia algumas polêmicas. Na real, a premiação, que já está batendo na porta do seu centenário, teve uma baita polêmica logo em uma de suas primeiras edições. 

A primeira edição do Oscar aconteceu em 1929. A Academy of Motion Picture Arts and Sciences (Academia de Artes e Ciências Cinematográficas), ou simplesmente The Academy, foi fundada em 1927 por executivos das grandes companhias de cinema de Los Angeles. Depois de dois anos de atividade, a turma da Academia resolveu criar um prêmio, para homenagear os melhores artistas e produtores do cinema, e assim fomentar novas e mais ousadas produções, em resumo, gerar competitividade. A primeira edição do Oscar foi mais um petit comité. Foi um jantar para apenas 270 pessoas num hotel de luxo em Hollywood, onde foram entregues 15 estatuetas para artistas e técnicos da indústria do cinema, referentes às produções de 1927 e 1928. Mas a partir dali a cerimônia passaria a ser anual e cresceria cada vez mais. Nos anos seguintes, ingenuamente, a Academia divulgava para os jornais locais os vencedores de cada categoria um dia antes da premiação. E por incríveis 9 anos, funcionou super bem, ninguém ficava sabendo quem eram os vencedores antes e os jornais anunciavam no dia seguinte da cerimônia, com matérias completas e etc. Mas, em 1939, os editores do Los Angeles Times receberam a lista dos vencedores na véspera da cerimônia e devem ter pensado: E se a gente divulgasse essa lista amanhã mesmo, e não depois de amanhã, quando a cerimônia já vai ter acontecido? Vai ser um furo de reportagem, certo? Pois é. Na manhã do dia 23 de fevereiro de 1939, o Los Angeles Times publicou os vencedores do Oscar daquele ano. De noite, quando a cerimônia aconteceu, o desconforto era nítido, pois todo mundo já sabia quem eram os escolhidos. É o Oscar causando climão desde 1939. 

O fato de a Academia ser formada por uma maioria de homens, brancos e de meia idade, faz com que as premiações sigam critérios conservadores. Basicamente este é o principal fator de polêmicas e discussões em boa parte das decisões que já foram consideradas injustas ao longo dos anos. O Oscar foi se tornando mais plural com o passar do tempo. Por exemplo, só em 1957 foi introduzida a categoria “Melhor Filme Estrangeiro”. Na mesma época a Academia passou a aceitar a filiação de cineastas de fora dos Estados Unidos, mas não era nada fácil conseguir entrar (e ainda não deve ser). Hoje em dia, dos aproximadamente 9 mil membros da Academia, apenas 1 mil e 200 não são norte-americanos. Ainda deste total de quase 9 mil, um terço são mulheres e 19% representam minorias, incluindo aí negros, deficientes físicos, gays e etc juntos. Em termos de premiações, essa diferença fica evidente. Por exemplo, em 94 anos foram entregues 3168 estatuetas. Dessas, apenas 47 foram entregues para negros (já contando com o Will Smith este ano). Em 2015 rolou um movimento muito forte nas redes sociais sob a hashtag #oscarsowhite, já que não havia nenhum negro entre todos os indicados daquele ano. Claro que não foi a primeira vez que isso aconteceu, mas, além de a internet não ser tão popular até vinte anos atrás, também faz pouco tempo que essas minorias finalmente estão conseguindo se fazer ouvir, sem ser por meio de protestos turbulentos em grandes cidades. 

Mas no fim das contas, o Oscar é sempre muito mais lembrado pelas tretas, polêmicas e confusões do que pelos filmes em si. E não é de hoje.

Tretas, polêmicas e confusões no Oscar

• A premiação de 1938 entrou para a história porque a atriz vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante, Alice Brady, torceu o tornozelo dias antes e não pode ir a cerimônia receber o prêmio. Quando foi anunciada como vencedora, um homem desconhecido subiu ao palco, recebeu a estatueta em nome da atriz e foi embora. E até hoje nem a atriz, nem a Academia e nem ninguém sabe quem é o tal homem, o ilustre desconhecido que levou um Oscar pra casa.

• Já em 1973 foi Marlon Brando que não compareceu para receber a sua estatueta. Ele fora indicado como melhor ator por seu papel em O Poderoso Chefão e não foi à cerimônia. Mandou em seu lugar uma jovem ativista dos povos nativos norte-americanos, para, caso ele vencesse, ela subisse ao palco em seu lugar para receber o prêmio e discursar sobre o descaso que os índios sofriam por parte da indústria cinematográfica e da sociedade como um todo. E deu certo. Ele venceu e a garota discursou entre vaias e aplausos.

• Em 1985 ficou nas mãos do ator e diretor Laurence Olivier anunciar os indicados e o vencedor da categoria mais importante da noite: Melhor Filme. Acontece que ele ficou meio confuso e emocionado com a situação toda e subiu ao palco e já abriu o envelope e anunciou o vencedor, sem sequer mencionar os demais indicados.

• Em 1998, se já tivesse internet e redes sociais, quem iria virar meme com certeza seria a Kate Winslet. Ela era disparada a favorita a ganhar a estatueta de melhor atriz, por seu papel em Titanic. Mas quem acabou ganhando foi a Helen Hunt, pela sua atuação encantadora no excelente filme Melhor Impossível. No momento em que o nome de Helen Hunt é anunciado, tem uma câmera voltada para Winslet que captura toda a sua surpresa e decepção. É uma imagem impagável! 

Mas foi depois da era Facebook e Twitter que as coisas realmente mudaram. A começar pelo meme mais duradouro do Oscar: Leonardo DiCaprio. O ator enfileirava grandes papéis, indicações, mas Oscar mesmo, que é bom, nada. A internet se ligou nisso e não perdoou. Foram bons dois ou três anos em que, na época do Oscar, éramos bombardeados com memes hilários do DiCaprio sem Oscar. Mas tudo acabou em 2016, quando ele levou pra casa o Oscar por sua atuação em O Regresso, e junto levou todos aqueles memes maravilhosos. 

Também viralizou absurdamente a selfie inacreditável da apresentadora Ellen Degeneres, que foi a mestre de cerimônia do Oscar de 2014. Ela foi para a plateia e tirou uma selfie onde aparecem Angelina Jolie, Brad Pitt, Lupita Nyong’o, Meryl Streep, Jennifer Lawrence, Bradley Cooper, Julia Roberts… só não apareceu o DiCaprio, que ainda não tinha Oscar na época.

Por falar na Jennifer Lawrence, ela protagonizou um meme memorável um ano antes. Em 2013 ela venceu a estatueta de melhor atriz pelo seu papel em O Lado Bom da Vida. Mas ao subir os degraus para o palco, ela tropeçou na barra do próprio vestido, um Dior caríssimo, diga-se, e levou um tombaço! Mas se levantou com simpatia e bom humor e recebeu o prêmio numa boa.

Em 2017 uma situação super constrangedora também viralizou e rendeu muitos memes. Warren Beatty e Faye Dunaway eram os encarregados de anunciar o vencedor da categoria Melhor Filme naquele ano. Por algum motivo, o envelope errado acabou nas mãos deles. Ali constava o nome da atriz Emma Stone, que havia vencido o prêmio de melhor atriz pelo filme La La Land. Sem pestanejar, o casal anuncia então, La La Land como vencedor. A turma responsável pelo filme já estava no palco comemorando quando o pessoal da Academia veio anunciar o equívoco. O filme vencedor era Moonlight (realmente bem melhor que La La Land). E foi aquele climão delícia! 

E esses são só alguns exemplos, tem muitos outros. Mas convenhamos, o Oscar é sobre premiar bons filmes! E é claro que inúmeras premiações questionáveis já aconteceram e geraram muita discussão. Só vou dar um exemplo aqui pra você entender:

Em 1977 cinco filmes concorriam a melhor filme:

  • Taxi Driver
  • Rede de Intrigas
  • Todos os Homens do Presidente
  • O Caminho para a Glória
  • Rocky Um Lutador

Aí todo mundo pensa, a disputa mesmo foi entre os três primeiros, é óbvio! São três baita clássicos do cinema. Pois é. Mas quem ganhou o Oscar de melhor filme foi Rocky, Um Lutador. Sim aquele mesmo, do Stallone lutando boxe! Tudo bem, o filme é bem legal… mas ganhar de Taxi Driver, passar por cima do roteiro incrível de Todos os Homens do Presidente e das atuações de Rede de Intrigas? É um pouco demais, né… Então, pra finalizar este post de maneira justa, ponderada e imparcial, fizemos duas listas: Top 5 Filmes que Mereceram Ganhar o Oscar e Top 5 Filmes que Mereciam, Mas Não Ganharam o Oscar. 

Camiseta Talking To Me Strip Me

Top 5 Filmes que Mereceram Ganhar o Oscar 

  • The Godfather (O Poderoso Chefão) – 1972 
  • Amadeus (1984) 
  • Platoon (1987) 
  • American Beauty (Beleza Americana)- 1999 
  • No Country For Old Men (Onde os Fracos Não Tem Vez) – 2007 

Top 5 Filmes que Mereciam, mas Não Ganharam o Oscar 

  • The Graduate (A Primeira Noite de Um Homem) – 1967 
  • A Clockwork Orange (Laranja Mecânica) – 1971 
  • The Color Purple (A Cor Púrpura) – 1985 
  • Goodfellas (Os Bons Companheiros) – 1990 
  • Pulp Fiction – 1994 
Camiseta Roteiro Fiction Strip Me

E assim, finalizamos este post nada controverso. Um texto sem tombos, envelopes trocados, ou tapas na cara. Em compensação também não temos uma selfie descoladíssima repleta de atrizes e atores famosões. Mas tudo bem, porque o que não falta na Strip Me é estilo e elegância com camisetas das mais variadas estampas! Na coleção de cinema e séries você encontra os melhores filmes em estampas incríveis, isso sem falar nas camisetas de música, arte, cultura pop, comportamento… tem de tudo! Fica esperto nos nossos lançamentos e visite a nossa loja

Vai fundo! 

Para ouvir: Uma playlist com as melhores canções que já levaram o Oscar de Melhor Canção Original. Claro que uma ou outra a gente escolheu uma versão diferente da original, pra dar um sabor a mais nessa playlist! Top 10 tracks Oscar Best Original Songs 

Adicionar um comentário


Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.