Quentin Tarantino One by One: Todos os filmes, do pior ao melhor.

Quentin Tarantino One by One: Todos os filmes, do pior ao melhor.

Na expectativa do décimo filme de Tarantino, em fase de produção, a Strip Me ranqueou todos os filmes do diretor, do pior ao melhor.

Um post claramente polêmico. Nada mais justo, afinal Quentin Tarantino sempre foi um diretor de cinema polêmico, gerando discussões sobre apologia à violência, subverter fatos históricos, abusar de referências pop e retratar o Bruce Lee levando um pau de um dublê de Hollywood. Mas é sua obra que o coloca como um dos maiores diretores da história do cinema. Um revolucionário. Tarantino fez na indústria do cinema o que o Nirvana fez na indústria fonográfica (e praticamente na mesma época). Ambos alçaram ao topo do mainstream o que era alternativo e underground, com obras absolutamente fantásticas e de valor inquestionável. O disco Nevermind desencadeou uma avalanche de lançamentos de bandas desconhecidas, e Pulp Fiction fez com que diretores autorais, como os irmãos Coen por exemplo, tivessem mais espaço, além de iniciar uma época de filmes violentos mais crus e explícitos.

Tarantino anunciou no começo deste ano que finalizou o roteiro de seu décimo filme, e aproveitou para dizer que será seu último. Se ele vai mesmo pendurar a claquete, só o tempo dirá. Mas a expectativa sobre seu último filme é enorme. Intitulado The Movie Critic, o longa será ambientado em 1977. Em entrevistas o diretor não deu pistas sobre a história, mas afirmou de antemão que não se trata de um crítico de cinema específico, não é uma cinebiografia ou algo assim. As filmagens estão programadas para o outono deste ano, que no Hemisfério Norte começa em setembro. Pra amenizar essa expectativa, fizemos um ranking de todos os filmes do Tarantino, do pior para o melhor. Onde The Movie Critic se encaixará nessa lista, ainda não sabemos. Mas sabemos que muita gente vai concordar com o nosso ranking, e muita gente vai discordar. E, no fim das contas, essa é a graça de fazer listas. Então vamos a ela.

Death Proof
Lançado em 2007, este é o filme mais fraco de Quentin Tarantino. É lógico que o filme mais fraco do Tarantino ainda é melhor que muita coisa feita nos últimos vinte anos no cinema. Sim, é um filme divertido, com aquela linguagem de filme B dos anos 70, diálogos maravilhosos e algumas cenas memoráveis. A cena da colisão frontal dos carros é linda! Mas é um file propositalmente galhofeiro, tem uns cortes desnecessários de cenas e um roteiro desleixado. A história é fraca.

Os Oito Odiados
Filme lançado em 2015, com um elenco fantástico. Numa espécie de volta às origens, Os Oito Odiados é como se fosse uma refilmagem do Cães de Aluguel, só que numa cabana congelada no meio do nada no século XIX. Claro, as atuações e os diálogos fazem com que o filme funcione muito bem. Mas acaba que é um filme cansativo e arrastado, ainda mais para quem vinha de esperando um novo Django Livre ou Bastardos Inglórios. Requer certa paciência para assistir as quase três horas de filme numa tacada só.

Jackie Brown
Veja você que o terceiro filme mais fraco de Tarantino tem no elenco Robert DeNiro, Bridget Fonda, Pam Grier, Michael Keaton e, é claro, Samuel L. Jackson. Além de ser o único dos filmes que Tarantino dirigiu, mas não escreveu, Jackie Brown é um filme muito bom. Na real, nem tem muito o que criticar. Tem atuações muito boas, uma história bem amarrada e uma trilha sonora focada no soul e funk dos anos 70 que é um deslumbre. Foi lançado em 1997 e é altamente recomendado. Mas, ao continuar lendo, você vai entender porque ele está entre os três “piores” do Tarantino.

Django Livre
Aqui a coisa já começa a complicar. Porque daqui pra frente são filmes realmente incríveis, e chega a ser injusto dizer que um é pior, ou mais fraco, que outro. Django Livre foi lançado em 2012 e é um filme grandioso. Tarantino recriou um filme western com maestria, mas colocando um negro como protagonista. Aqui temos um Leonardo DiCaprio numa atuação irretocável, aliás todas as atuações são muito acima da média. A trilha sonora que mescla clichês do western spaghetti com rap é genial. Mas é isso. É um western sob o olhar do século XXI. Uma boa história, boas atuações, mas sem grandes transgressões ou ousadias.

Bastardos Inglórios
Entramos no Top 5. E de cara podemos afirmar sem medo de errar que Bastardos Inglórios já é um clássico do cinema de todos os tempos. Foi neste filme que Tarantino, pela primeira vez, subverteu seu próprio método. Concebeu um filme numa linha do tempo linear, sem flashbacks, usou pelo menos umas 3 tipografias diferentes ao apresentar os créditos e retratou personagens históricos reais. Foi aqui que Tarantino mostrou ao mundo o brilhante ator Christoph Waltz, que roubou a cena como um general da SS culto e inescrupuloso. Outra subversão de Tarantino foi com a própria história mundial. Neste filme, lançado em 2009, os nazistas são derrotados em 1944, com a cúpula nazista, incluindo Hitler, morta num incêndio de um pequeno cinema em Paris. É um filme imperdível.

Cães de Aluguel
Lançado em 1992, é o filme de estreia de Tarantino como diretor. E é um dos filmes mais empolgantes dos anos 90. Tudo que o mundo viria a conhecer dois anos depois com o sucesso de Pulp Fiction já estavam neste filme. Litros de sangue, diálogos impagáveis, sarcasmo, uma linha temporal bagunçada e criminosos como protagonistas. Cães de Aluguel é brilhante por inúmeros motivos, mas um deles certamente é o fato de o filme se passar por mais da metade do tempo dentro de um barracão vazio. As atuações e os diálogos são maravilhosos. Sem falar na memorável cena da tortura do policial, que imortalizou a música Stuck in the Middle With You, da banda Stealers Wheel. Em se tratando de um diretor estreante, é um filme realmente inacreditável de tão bom.

Kill Bill I & II
Se o próprio Tarantino, em sua filmografia, considera os dois volumes de Kill Bill, lançados em 2003 e 2004, um filme só, quem somos nós para discordar? Kill Bill é um filme de 4 horas de duração, mas que pode ser assistido de uma vez sem cansar. Além da história ser riquíssima, tem personagens cativantes, diferentes locações e até mesmo diferentes linguagens cinematográficas, indo da animação no estilo mangá até filmes de bang bang. Apesar de se tratar de uma premissa simples, uma mulher em busca de vingança, tudo que envolve essa personagem e suas motivações são explicados num turbilhão delicioso de referências e homenagens à cultura pop, passando pela música, quadrinhos e cinema. Apesar de toda a violência, é um filme leve e divertido, desses que a gente não cansa de ver e rever.

Era Uma Vez em Hollywood…
O dedo chega a coçar para escrever que este é o melhor filme de Tarantino. Mas é claro, devemos levar em conta fatores como a maturidade, que traz consigo aprimoramento profissional, do diretor. Era uma vez em Hollywood… é seu filme mais recente, lançado em 2019. De fato, aqui Tarantino refinou sua arte em todos os sentidos. Está tudo lá. As referências pop, as influências de western e kung fu, a ambientação de época impecável e diálogos maravilhosos. Mas tudo muito bem dosado, sem exagero, e feito com esmero. É mais um filme de Tarantino com mais de duas horas de duração, mas que não dá pra sentir o tempo passar. E, é claro, as atuações irretocáveis de Leonardo DiCaprio e Brad Pitt. Em especial DiCaprio está voando, numa atuação realmente poderosa. Mais uma vez Tarantino reescreve a história ao recontar à sua maneira o caso Sharon Tate, atacada pelos asseclas de Charles Manson. É um filme praticamente perfeito, uma das obras primas de Tarantino.

Pulp Fiction
A ordem de toda essa lista pode ser questionada, mas este primeiro lugar, dificilmente será questionado. Pulp Fiction é o melhor filme de Tarantino não só pela originalidade e inventividade, mas também por sua estética revolucionária para a época. A importância do filme para o cinema é imensa. Além de fazer com que a indústria desse mais atenção para diretores autorais, com uma pegada mais alternativa, deu aval para que filmes de violência fossem mais explícitos e, consequentemente, mais densos e realistas. O próprio Seven, de David Fincher, lançado em 1995, é filho direto de Pulp Fiction, com cenas que não economizam no sangue, coisa que não aparecia com frequência em filmes policiais até então. Falando do filme em si, Pulp Fiction impressiona pelo roteiro coeso e bem amarrado, pela diversidade de personagens interessantíssimos, e que acabam se conectando, pela linha temporal bagunçada que encanta o espectador quando o filme acaba e tudo se explica, pelos diálogos impagáveis que vão de massagem nos pés a diferentes procedências de heroína. Além de cenas icônicas como a dança de Uma Thuruman e John Travolta, ou a incrível escapada do personagem de Bruce Willis, que foge com a motoci… quer dizer, com a chopper do Zed. Pulp Fiction é um filme irresistível, desses que se você pega pela metade, zapeando os canais da TV, para pra ver até o fim, mesmo já tendo visto dezenas de vezes. É o Nevermind do Tarantino, e só por esse elogio, já se justifica ele estar no primeiro lugar dessa lista, como a melhor obra do cineasta.

Pronto! Está feita a polêmica. Agora é com você, concordar ou discordar da sequência. Unanimidade mesmo é que o Quentin Tarantino é um dos cineastas mais importantes de todos os tempos e, certamente, o mais revolucionário dos últimos 30 anos. Sendo assim, é uma das nossas inspirações aqui na Strip Me. Basta dar uma conferida na nossa loja a quantidade de camisetas baseadas na obra dele para comprovar. Isso sem falar em muitas outras camisetas inspiradas no cinema, música, arte, cultura pop e muito mais. Na nossa loja você também fica por dentro de todos os nossos lançamentos, tem estampa nova toda semana!

Vai fundo!

Para ouvir: Mais uma playlist caprichada com músicas das trilhas sonoras dos filmes do Tarantino. Tarantino Mix Top 10 tracks.

Para assistir: Além de todos os filmes do Tarantino, nunca é demais recomendar o inigualável e divertidíssimo curta-metragem brasileiro Tarantino’s Mind. Lançado em 2006, escrito e dirigido pela dupla Bernardo Dutra e Manitou Felipe, o filme conta com Seu Jorge e Selton Mello nos papéis de suas vidas, falando sobre a obra de Tarantino. É sensacional e tem de graça no Youtube. Link aqui.

Pulp Fiction Facts

Pulp Fiction Facts

Pulp Fiction é daqueles filmes definitivos. A estética, os diálogos, o roteiro inovador com histórias bizarras que se cruzam, a violência tratada de maneira escrachada, os personagens sensacionais, enfim… Pulp Fiction é, sem sombra de dúvida, o melhor de Tarantino e também um marco na cultura pop.

Assim, como quase tudo já foi dito sobre o filme, resolvermos abordar o lado behind the scenes da coisa. Então, se liga nesses 10 Pulp Fiction Facts que separamos e que você, provavelmente, não sabia. I dare you. I double dare you motherfucker! J

1. O vício de Vincent Vega em Heroína

Para fazer o personagem Vincent Vega da forma mais realista possível, John Travolta pediu a um amigo viciado em heroína para descrever qual a sensação ao usar a droga, já que o personagem Vincent era um viciado em heroína. O amigo então deu a seguinte dica a Travolta: fique bêbado de tequila e deite em uma banheira de água quente; essa será a representação mais próxima possível da sensação dos efeitos da heroína. John Travolta diz que treinou a tática diversas vezes com a esposa em um hotel para se preparar para as filmagens.

StripMe-blog-PulpFiction1

2. O casal Marcellus Wallace e Mia Wallace

Apesar de formarem um casal no filme, é interessante perceber que os personagens não conversam em nenhuma cena.

StripMe-blog-PulpFiction2

3. Ezequiel 25:17

A passagem bíblica citada por Jules antes de atirar em um personagem não é, de fato, verdadeira. Na verdade, Samuel L. Jackson e o diretor Quentin Tarantino usam apenas duas frases originais da bíblia, sendo que o restante do texto foi criado por eles mesmos antes das filmagens.

Se liga: “Ezekiel 25:17. ‘The path of the righteous man is beset on all sides by the inequities of the selfish and the tyranny of evil men. Blessed is he who, in the name of charity and good will, shepherds the weak through the valley of darkness, for he is truly his brother’s keeper and the finder of lost children. And I will strike down upon thee with great vengeance and furious anger those who attempt to poison and destroy my brothers. And you will know my name is the Lord when I lay my vengeance upon thee!”.

StripMe-blog-PulpFiction-gif

4. O papel de Mia Wallace

Uma Thurman fez da personagem Mia Wallace uma referência eterna do que é ser cool, maluca, junkie etc., sendo até impossível imaginar outra atriz senão ela vivendo Mia. Mas, na verdade, antes de Uma Thurman pegar o papel, várias atrizes foram cogitadas, tais como: Julia Louis-Dreyfus, Halle Berry, Meg Ryan, Isabella Rossellini, Daryl Hannah, Joan Cusack e até mesmo Michelle Pfeiffer. Ainda bem que Tarantino ficou mesmo com Uma Thurman, e, reza a lenda que, para convencê-la, o diretor ligou na casa da atriz e leu para ela o roteiro inteiro do filme pelo telefone. Ela topou fazer o papel na hora!

StripMe-blog-PulpFiction4

5. Bad Motherfucker

A carteira usada por Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) com a inscrição “Bad Motherfucker” existia mesmo, e era, na realidade, a carteira de Quentin Tarantino.

StripMe-blog-PulpFiction5

6. Robert Rodriguez dirigiu algumas cenas de Pulp Fiction

O diretor Robert Rodriguez é amigo de longa data de Tarantino e juntos já dirigiram diversos cenas em variados filmes. Um fato curioso é que, mesmo não citado nos créditos, Robert dirigiu a maioria das cenas de Pulp Fiction em que Tarantino está atuando.

StripMe-blog-PulpFiction6

7. 8 milhões de dólares

8 milhões de dólares foi o preço de Pulp Fiction. Apesar de extremamente barato para os padrões do cinema americano, destaca-se que dos 8 milhões, 5 foram somente para pagar os cachês dos atores. Com o sucesso do filme, foram arrecadados mais de 210 milhões de dólares nas bilheterias de cinema de todo o mundo.

Cannes Film Festival Retrospective

8. A cena de estupro de Marcellus Wallace

O ator Ving Rhames, que interpreta o chefão Marcellus Wallace, se recusou a fazer a cena onde ele é estuprado. A produção do filme então conseguiu que o ator Max Julien fizesse a cena no lugar de Max.

StripMe-blog-PulpFiction8

9. Kurt Cobain foi cotado para o filme?

Em diversas entrevistas, Courtney Love já alegou que o diretor Quentin Tarantino queria que Kurt Cobain interpretasse o papel do traficante Lance. Ainda segundo Courtney, Kurt negou o papel por achar que estaria fazendo apologia ao uso de drogas. Tarantino negou a história diversas vezes, mas, uma coisa é fato: a semelhança física do personagem Lance (interpretado pelo ator Eric Soltz) com Kurt Cobain é inegável, não?

StripMe-blog-PulpFiction9

10. A cena de Dança no Jack Rabbit Slim

Que Pulp Fiction é cheio de referências a diversos outros filmes, isso é fato. Mas uma cena em especial ganha destaque: a genial cena de dança interpretada por Uma Thurman e John Travolta é, na verdade, uma homenagem de Tarantino à cena de dança de Gloria Morin e Mario Mezzabotta’s no filme de Frederico Fellini.


 

11. Bônus: A palavra Fuck é dita 265 vezes durante o filme.

StripMe-blog-PulpFiction11


Sobre a Strip Me

Na loja online da Strip Me você encontra as camisetas de filmes, camisetas de bandas e camisetas de seriados mais styles. E, como não podia ser diferente, Pulp Fiction é tão bom, mas tão bom, que ganhou não uma, mas duas homenagens da marca: Camiseta Mia Wallace e Camiseta Pulp Fiction. Corre pro site pra garantir a sua: www.stripme.com.br 😉

StripMe-blog-PulpFiction-camiseta

Soundtrack: 11 trilhas sonoras sensacionais

Soundtrack:  11 trilhas sonoras  sensacionais

Não é regra, mas deveria ser: se o filme é bom, a trilha sonora é genial. É por essa razão que alguns filmes contêm trilhas sonoras tão boas que acabamos por associar, eternamente, as músicas que tocam no filme com as cenas e os personagens; e aí, o “estrago” está feito.

Alguns diretores também atacam tão bem de DJ na escolha das músicas, que suas trilhas sonoras acabam por se tornar referência, como é o caso de Scorsese e, claro, Tarantino. Esse último, aliás, já revelou em entrevistas que ao escrever o roteiro de seus filmes, o primeiro passo é selecionar a trilha sonora, que dará vida e clima aos personagens.

Então, nessa pegada toda de filmes e trilhas, garimpamos o youtube e selecionamos 11 Soundtracks originais de ótimos filmes que valem a pena ser escutadas. Dá o play e divirta-se!

1. I am sam

http://www.youtube.com/watch?v=Y3uLCTfle24


2. Django Unchained

http://www.youtube.com/watch?v=uyx3T3neIDY


3. Pulp Fiction


4. Trainspotting

http://www.youtube.com/watch?v=SapClGprE2A


5. The Wolf of Wall Street (O lobo de Wall Street)


6. School Of Rock (Escola de Rock)


7. Scarface


8. Fight Club (Clube da Luta)


9. Reservoir Dogs (Cães de Aluguel)


10. Juno


11. Into the Wild (Na Natureza Selvagem)


Sobre a Strip Me:

A Strip Me desenvolve camisetas com estampas criativas e originais. Visite nossa loja virtual, onde, além de camisetas de rock, camisetas de filmes e camisetas de cultura pop, você também encontra diversos acessórios modernos e exclusivos. Acesse: www.stripme.com.br

DIRECTOR’S CUT: resenhas por Paulo Argollo

DIRECTOR’S CUT: resenhas por Paulo Argollo

Os grandes diretores do cinema mundial merecem nosso respeito e admiração. Com a camiseta Director’s Cut Strip Me você carrega no peito a história do cinema e pode aproveitar para azarar umas gatinhas. Já pensou? A garota chega e fala: “Ainnn, eu adoro os filmes do Tarantino!”. É a sua chance de puxar um papo! Você pode perguntar quais os três filmes dele que ela mais gosta, e daí, começar aquele papo certeiro!

camiseta-directorscut-stripme

Mas o quê? Você não conhece a obra desses monstros sagrados?

Tudo bem, calma, rapaz. A gente dá um jeito.

  • DAVID LYNCH

Veludo Azul (Blue Velvet – 1986)

Um jovem encontra uma orelha humana, acredita tratar-se de um crime, começa a investigar e depara-se com um gângster maluco.

Drogas, sadomasoquismo e música dark/gótica/deprê completam a receita.

Precisa de mais? Filmaço!

1.BLUE VELVET

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Twin Peaks (série de TV – 1990-1991)

Não é um filme, eu sei. Mas trata-se de uma série única. Uma garota é encontrada morta e um agente do FBI chega à pequena cidade para investigar o crime.

É uma série genial! Lynch está livre, leve e solto! Mistério, erotismo, violência, humor negro, bizarrice…está tudo lá! Especialmente, a primeira temporada é irretocável.

2.twin

Império dos Sonhos (Inland Empire – 2006)

Uma garota que sonha em ser atriz numa Hollywood colorida e decadente desenvolve múltiplas personalidades, confundindo-se entre as personagens que interpreta.

Uma obra de arte! Fotografia lindíssima e extravagante, ótimos diálogos e toda aquela loucura gostosa do velho Lynch!

3.inland empire

  • BRIAN DE PALMA

Carrie, a Estranha (Carrie – 1976)

Adaptação do clássico livro de Stephen King, Carrie é uma garota com poderes paranormais. Tímida e retraída, é alvo de chacotas (para os mais novinhos: chacota = bulliyng) em todo o colégio. Mas chegou a hora dela revidar.

O cartaz de lançamento do filme vinha com a frase:

“Se você gosta de terror…convide Carrie para o baile.”

Clássico!

4. Carrie

Scarface (1983)

Um porto-riquenho residente em Miami quer ganhar a vida a qualquer custo.

Um dos filmes mais violentos e impactantes da história do cinema! Al Pacino dá um show de interpretação. Drogas e violência amarram com primor o roteiro de Oliver Stone (sim, ele mesmo!).

“Say hello to my little friend!”

5. scarface

Os Intocáveis (The Untouchables – 1987)

No auge da Lei Seca, Al Capone comanda a venda ilegal de bebida alcoólica nos Estados Unidos. Um agente federal, um policial e um contador armam uma ofensiva para prender o gângster mais famoso da história.

Um verdadeiro clássico! Atuações incríveis com destaque para Robert DeNiro como Al Capone.

Se você já viu uma cena de tiroteio em câmera lenta onde um carrinho de bebê rola escada abaixo, agradeça a Brian de Palma.

6. intocaveis

  • STANLEY KUBRICK

2001 – Uma Odisséia no Espaço (2001: A Space Odyssey – 1968)

Um objeto estranho é encontrado na superfície da Lua e um robô é enviado para desvendar o caso.

O grau de pioneirismo deste filme é absurdo! O homem sequer havia pisado na Lua e Kubrick já falava de viagens espaciais tripuladas, inteligência artificial e questões amplas sobre a existência humana.

Gênio!

7. Space Odyssey

Laranja Mecânica (A Clockwork Orange – 1971)

Num futuro distópico, um jovem delinquente é preso e vira cobaia de experimentos psíquicos numa tentativa exagerada de conter a violência.

Se na literatura, 1984 de George Orwell é tido como marco da ficção de um futuro distópico, Kubrick elevou Laranja Mecânica à obra de arte nesta adaptação irretocável, que contou ainda com a atuação inspiradíssima de Malcolm McDowell.

8. clockwork

Nascido Para Matar (Full Metal Jacket – 1987) 

Uma visão clara sobre a desconstrução de personalidade sofrida pelos recrutas que iam para o Vietnã e os horrores da guerra.

Um dos filmes mais icônicos sobre a guerra do Vietnã. Contundente e emocionante.

Ainda não apareceu até hoje na história do cinema um sargento tão casca-grossa como o Sgt. Hartman deste filme.

9. full-metal-jacket

  • FRANCIS FORD COPPOLA

O Poderoso Chefão (The Godfather – 1972)

Perto do estourar uma guerra entre as famílias da máfia italiana nos Estados Unidos, Michael Corleone é levado a assumir o papel de seu pai como chefe dos negócios.

Marlon Brando está um absurdo, Al Pacino impressionante, Robert Duvall, Diane Keaton, James Caan…são tantas atuações brilhantes! O roteiro de Mario Puzo é fantástico e a direção de Coppola é irretocável.

Ou seja, tudo o que você já sabe, já leu em tudo quanto é lugar e tem plena noção que é tudo a mais pura verdade.

10. godfather

Apocalypse Now (1979)

Um jovem capitão do exército é enviado ao Vietnã para matar um oficial desertor que se considera uma divindade para uma tribo perdida no meio do Camboja.

Nenhum filme sobre o Vietnã é mais impactante e contundente que este. Poucos filmes de guerra conseguem ser tão densos e claustrofóbicos. Mesmo sem tantas cenas de batalhas, é um filme violentíssimo.

Um filme indispensável que nos ensinou que tem gente que adora o cheiro de napalm pela manhã.

11. apocalypse now

Drácula de Bram Stoker (Dracula – 1992)

Filme adaptado do clássico livro de Bram Stoker sobre o mais famoso dos vampiros.

Fora as ótimas atuações de Gary Oldman, Winona Ryder e Anthony Hopkins, este filme é tão bom, mas tão bom que até o canastrão do Tom Waits está convincente. Um filme obscuro, Coppola foi buscar nos clássicos do expressionismo alemão inspiração para uma fotografia tão pesada e direção certeira.

Para quem acha que vampiro brilha no sol e chora ouvindo Paramore, fica a dica.

12. dracula

  • MARTIN SCORSESE

Taxi Driver (1976)

A guerra do Vietnã gerou mais que bons filmes de guerra no meio da selva. Taxi Driver é o filme mais impactante sobre um veterano da guerra que volta pra casa confuso, pois só sabe matar pessoas e não consegue viver em sociedade.

Robert DeNiro se mostra um ator descomunal neste filme denso e opressor.

Com Taxi Driver aprendemos que levar uma garota para um cinema pornô no centro da cidade não é uma boa ideia no primeiro encontro. Vlw flws!

13 Taxi-Driver

A última Tentação de Cristo (The Last Temptation of Christ – 1988)

Um filme corajoso retrata a vida de Jesus e seus últimos dias até sua crucificação.

Scorsese se enche de ousadia para mexer num vespeiro que é a religião. Com a ótima atuação de William Dafoe (possivelmente um dos atores mais feios de Hollywood) o filme apresenta um Jesus mais humano e inconstante, colocando em questão vários dogmas do cristianismo.

Um excelente filme para ser assistido com a mente aberta.

14 last_temptation_of_christ

Os Bons Companheiros (Goodfellas – 1990)

Possivelmente, este seja o filme mais didático sobre como funcionava a máfia italiana na metade do século XX, antes do tráfico de drogas aparecer. O filme conta a história de um rapaz ambicioso que escolhe a vida do crime para prosperar, aliando-se à máfia.

Além de dirigir o filme com maestria, pontuando cada época com uma trilha sonora matadora e muita violência, Scorsese merece aplausos por fazer um ator medíocre como Ray Liotta atuar muito bem.

Filme obrigatório!

15 goodfellas

  • QUENTIN TARANTINO

Cães de Aluguel (Reservoir Dogs – 1992)

Um gângster convoca um grupo de bandidos para um simples assalto a uma joalheria. Mas o trabalho não sai como o esperado.

Com certeza, este é um dos filmes mais geniais da história devido à sua simplicidade. O filme se passa praticamente o tempo todo num barracão e não é nem um pouco cansativo. Pelo contrário é instigante! Ninguém escreve diálogos como Tarantino! Ninguém é tão sádico como Michael Madsen, ninguém é tão casca-grossa como Harvey Keitel e ninguém morre tão bem como Tim Roth!

16 reservoir dogs

Pulp Fiction: Tempo de Violência (Pulp Fiction – 1994)

Refinando sua arte em escrever diálogos antológicos, Tarantino concebeu este clássico. Um filme que tem cara de filme independente europeu, mas é muito mais divertido e tem uma produção hollywoodiana e não é forçado. Aqui várias histórias se cruzam com um elenco de peso, muito sangue e humor negro.

Para informações relevantes tal qual como é chamado o quarteirão com queijo no McDonalds da França, como aplicar uma injeção de adrenalina ou se o Marcellus Wallace parece uma vadia, assista essa beleza de filme e divirta-se.

17 Pulp Fiction

Bastardos Inglórios (Inglourious Basterds – 2009)

Enquanto um grupo de judeus norte-americanos é enviado à Europa para trucidar nazistas, uma jovem parisiense tem a chance de praticar um atentado à grande cúpula alemã.

São tantos e tantos filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, e todos mostram o sofrimento dos pobres judeus, que Tarantino colocou os livros de história de lado e a reescreveu à sua maneira. Ver judeus escalpelando nazistas e um Hitler mimado e ridículo é impagável! Isso sem falar nas atuações incríveis de Brad Pitt e Christoph Waltz.

Um verdadeiro filmaço!

18 Inglourious Basterds

por Paulo Argollo

 


Sobre a Strip Me:

A Strip Me desenvolve camisetas de qualidade com enfoque em estampas criativas e originais. Na loja virtual você encontra todas as coleções, que compreendem camisetas de rock, camisetas de cultura pop, camisetas de bandas e camisetas de filmes, além de acessórios modernos e exclusivos. Acesse: www.stripme.com.br

Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.