Arte, pop e revolução.

Arte, pop e revolução.

A Segunda Guerra Mundial foi o evento mais importante do século XX. Com a vitória dos Aliados, os Estados Unidos despontou como grande potência mundial, o capitalismo foi alavancado em todo o ocidente e teve início a Guerra Fria. Mas a gente não está aqui pra falar de guerra, ter aula de história nem nada assim, né? Só que não dá pra falar de Pop Art de outra maneira. Na década de 1950 o mundo era só alegria, cara! A economia ia bem, não tinha nenhum ditador maluco ameaçando a paz mundial e a televisão se popularizou.

“O que torna as casas de hoje tão diferentes, tão atraentes?” Richard Hamilton – 1956

Enquanto os teóricos da comunicação vaticinavam termos como Cultura de Massa e Indústria Cultural,  os artistas plásticos mais jovens percebiam que não fazia mais sentido toda aquela subjetividade do expressionismo abstrato se a sociedade só queria saber de consumir tudo que era de fácil assimilação, enlatado e divulgado com excelência pela emergente e moderna publicidade. Uma turma do Instituto de Arte Contemporânea de Londres auto-intitulado Independent Group deu o pontapé inicial, em 1952, ao elaborar obras de arte usando ícones da publicidade, cores fortes e traços simples. Nascia a Pop Art, pelas mãos de Eduardo Luigi Paolozzi, Nigel Henderson e Richard Hamilton.

“Interior II” Richard Hamilton – 1964

Mas foi no começo dos anos 1960, em New York, que o bicho pegou mesmo! Um tal Andy Warhol lapidou o conceito e as técnicas dos ingleses e concebeu obras geniais que, ao mesmo tempo, encantam e incomodam. Com cores vivas e repetições, Warhol mostrava celebridades vazias, como Marylin Monroe e Elvis Presley, e rótulos de produtos que representavam a impessoalidade da produção em série, como a Coca Cola e a sopa Campbell. E Warhol não vinha sozinho. A Pop Art norte americana também contava com artistas incríveis como Roy Lichtenstein , James Rosenquist, Tom Wesselmann e muitos outros.

“Red Disaster” Andy Warhol – 1963

Foi uma verdadeira revolução. É só procurar em volta que você vai se ligar que a Pop Art está bem viva por aí. Seja em cartazes feitos com serigrafia, os lambe-lambe, os grafites coloridos pelos muros das grandes cidades… e, claro, em algumas galeria de arte mundo afora. Sem falar que foi um movimento que extrapolou a arte gráfica e influenciou a moda, o cinema e a música, em especial o surgimento do punk nova-iorquino. Afinal, Lou Reed era parceirão do Andy Warhol, que fez a capa icônica do primeiro disco do Velvet Undergound. A turma da Factory, o estúdio de Warhol, frequentava o legendário bar CBGB’s onde se apresentaram pela primeira vez Television, Blondie, New York Dolls e os Ramones. Era uma turminha da pesada.

“Campbell’s Soup Cans” Andy Warhol – 1962
“In The Car” Roy Lichtenstein – 1963

E foi assim que a arte e o pop se uniram e foram felizes para sempre.

VAI FUNDO!

Para ouvir: Confere lá no Spotify a nossa playlist Pop Art On The Rocks – Top 10, com 10 canções que representam muito bem este moveimento artístico.

Para assistir: Uma Garota Irresistíve (título original: Factory Girl). Ótimo filme dirigido por George Hickenlooper, conta a trajetória de uma das musas de Warhol Edie Sedgwick.

Para ler: Com o título direto e reto Pop Art, o historiador Tilman Osterwold concebeu um livro excelente contando as minúcias deste movimento artístico tão importante, desde seu surgimento na Inglaterra, até suas mais recentes manifestações.

A cara do pai.

A cara do pai.

Nada deixa um pai mais feliz do que ver seus filhos bem sucedidos na vida. Profissionalmente, dividem-se os pais que se enchem de orgulho de o filho ter trilhado os mesmos passos que eles, e os pais que acham que os filhos tinham que tomar rumos diferentes.  Mas no fim, se o rebento alcançou sucesso, a alegria sempre vai reinar. Na semana do dia dos pais, não há maneira melhor de homenagear os velhos do que falando da glória de seus filhos.

A música pop é um terreno muito prolífico nesta área. Muitos nomes consagrados do mundo pop tiveram filhos que seguiram o caminho dos pais e conseguiram êxito sem viver à sombra de seus progenitores. Um exemplo curioso é a cantora pop Miley Cyrus, filha do músico de country dos anos 1990 Billy Ray Cyrus, que apenas teve um hit de sucesso e ficou restrito à cena country norte americana, ao contrário de sua filha que ficou mundialmente famosa e coleciona hits. Também tem a Norah Jones, um fenômeno pop com suas baladas jazzy, filha do famosos Ravi Shankar, maior nome da música indiana. Sem falar da Nancy Sinatra, filha do grande Frank Sinatra, que conseguiu sair da imensa sombra de seu pai, construindo uma carreira de muito sucesso e, assim como seu velho, muitos excessos também. Também tem o filho de Bob Dylan, Jakob, que se firmou no cenário roqueiro com sua banda Wallflowers. Ainda na seara folk, Adam Cohen faz jus à obra de seu pai Leonard Cohen, lançando discos inspiradíssimos. Olha, a lista vai longe.

E, pra finalizar, nada mais justo do que falar dos melhores do mundo. John, Paul, George e Ringo também tiveram filhos que se tornaram músicos. Claro que no caso deles fica ainda mais difícil se livrar do peso de seus sobrenomes, mas todos eles conseguiram trilhar carreiras bem sucedidas, inegável, alguns que se fazendo valer de seus pais famosos pra dar um empurrãozinho aqui e ali. John teve Julian e Sean Lennon. Julian chegou a gravar alguns discos, mas não foi muito longe. Apesar de ter o timbre de voz marcante do pai, não tem o mesmo brilhantismo como compositor. Já Sean se deu melhor apostando na carreira de produtor musical. Ele foi responsável por apresentar ao mundo do século XXI uma das bandas mais inventivas dos anos 1960: Os Mutantes. Paul sempre foi o mais produtivo dos quatro, teve cinco filhos, sendo James McCartney o único homem, e também o único a seguir carreira na música. Multi instrumentista, ele tocou em vários discos de seu pai e lançou seu primeiro disco solo em 2011 com recepção morna de público e crítica. George teve apenas um filho, muito talentoso diga-se. Dhani Harrison é um ótimo guitarrista e se especializou em trilhas sonoras de filmes, além de ter tocado e produzido alguns dos discos solo do pai. Assim como George, Dhani é pouco afeito a exposição e tem uma vida tranquila. Ironicamente, o mais bem sucedido dentre os filhos dos integrantes dos Beatles é Zak Starkey. O filho de Ringo tornou-se um baterista requisitadíssimo. Foi membro da banda Oasis e fez várias turnês com o The Who, assumindo as baquetas de ninguém menos que Keith Moon.

Enfim, não tem presente melhor para um pai do que ver o sucesso de seus filhos. Mas se você já dá orgulho pro seu pai todos os dias do ano, neste dia dos pais, nada mais justo que você mostrar que conhece ele bem, e dar de presente uma camiseta que é a cara dele. Seu pai pode ser ligado em música, cinéfilo, amante das artes ou fazer o tipo moda minimalista, com certeza você vai achar a camiseta ideal. E pode deixar que a gente embrulha e envia, com direito a um cartão personalizado, com as suas palavras, ao finalizar a sua compra é só digitar sua mensagem no campo “observações”. Dá uma olhada aqui!

 VAI FUNDO!

Ouça nossa playlist no Spotify com 10 músicas de filhos de pais famosos – Just like dad – Top 10

Assista no YouTube a um dos excelentes shows da turnê de 2006 do The Who com Zak Starkey na bateria. – https://youtu.be/8kb9pYi90rw

Leia o ótimo livro Paul McCartney — A biografia, escrito pelo Philip Norman e lançado pela Companhia das Letras. Além de toda a história do Beatles, há ricos relatos sobre a criação de seus filhos.

R.I.P. Morricone!

R.I.P. Morricone!

Faleceu hoje o maestro Ennio Morricone. Nascido em Roma em 10 de novembro de 1928, Morricone é responsável por alguns temas clássicos do cinema, além de ser um compositor de música popular de mão cheia. Seu primeiro grande êxito foi em 1966 com o tema do filme Três Homens em Conflito (The Good, the Bad and the Ugly), clássico de Sergio Leone estrelado por Clint Eastwood. Uma melodia inesquecível que transcendeu o cinema e foi parar até na abertura dos shows dos Ramones!

Claro que Ennio Morricone sempre foi referência no cinema. Sendo assim, nada mais justo que Quentin Tarantino fosse atrás dele para enriquecer suas obras. Acabou que no começo dos 2000 Morricone ressurgiu com força nos filmes do Tarantino e fazendo várias parcerias no mundo pop, incluindo uma dobradinha inusitada com o prolífico Mike Patton num show em Santiago, no Chile.

Para homenagear este grande ícone do cinema e da cultura pop, fizemos uma playlist com o nosso Top 10 das composições de Morricone! Confere aí!

Conheça os 5 álbuns de rock mais famosos

Conheça os 5 álbuns de rock mais famosos

Quem curte um bom rock está sempre por dentro dos melhores lançamentos desse universo. É claro que “gosto não se discute”, e mesmo dentro de um gênero musical como o rock podemos encontrar diferenças de opinião.

Porém, se você está com a mente aberta para conhecer melhor esse universo e suas bandas, veio ao lugar certo. Vale dar uma olhada nos álbuns de rock mais famosos que separamos aqui no post. Será que os seus favoritos estão aí? Continue a leitura e descubra!

1. Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band – Beatles

Os Beatles são considerados uma das maiores bandas de rock da história. É claro que a nossa lista de álbuns de rock mais famosos traria algum álbum deles. O “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” é o oitavo álbum da banda. Foi lançado em 1967 na Inglaterra, por meio da Parlophone Records; e, nos Estados Unidos, pela Capitol Records.

O álbum é considerado o mais influente de toda a história da música! Além disso, ocupa a primeira posição da lista Rock and Roll Wall of Fame, que reúne 200 álbuns. Também está na primeira posição da lista feita pela revista Rolling Stone (500 Greatest Albuns of All Time).

2. Dark Side of The Moon – Pink Floyd

Outro verdadeiro clássico da história da música é o “Dark Side of the Moon” do Pink Floyd. A capa com o prisma e arco-íris é conhecida até mesmo por quem não entende tanto de música, já que virou estampa de camisetas até em lojas de grife. Trata-se de uma referência mundial para os roqueiros.

O álbum é considerado uma obra-prima e um marco dentro do rock progressivo. Além disso, é o álbum que ficou por mais tempo nas paradas da Billboard, somando 795 semanas consecutivas.

3. Nevermind – Nirvana

Gostando ou não de rock, você, com certeza, já viu a capa desse álbum. Como esquecer o bebê dentro d’água atrás da nota um de dólar? Nossa terceira posição da lista de álbuns de rock mais famosos foi lançado em 1991, pela DCG Records, e é o segundo álbum lançado pelo grupo Nirvana.

“Nevermind” está na décima posição na Rock And Roll Wall of Fame e na 17ª posição na lista 500 Greatest Albuns of All Time, da Rolling Stones. Até mesmo a arte da já mencionada capa foi considerada uma entre as melhores de todos os tempos.

4. Exile on Main St. – Rolling Stones

O décimo álbum de estúdio dos Rolling Stones é também um dos álbuns de rock mais famosos de todos os tempos. “Exile On Main St.” foi recebido negativamente pela crítica, porque mistura rock, soul, blues, country e até mesmo gospel music.

Porém, as críticas negativas estão no passado. Hoje me dia o álbum é visto como uma obra-prima e ocupa a sexta posição nos 200 álbuns definitivos da Rock And Roll Wall of Fame.

5. Highway 61 Revisited – Bob Dylan

A Columbia Records lançou o “Highway 61 Revisited” de Bob Dylan em 1965. O sexto álbum do cantor e compositor norte-americano contém a famosa faixa “Like a Rolling Stone”, que simplesmente ocupa a primeira posição na lista das 500 melhores canções de todos os tempos da revista Rolling Stone.

Esses podem ser considerados realmente os cinco álbuns de rock mais famosos do mundo da música. E se você ainda não conhece ou não ouviu algum deles, é hora de procurar um vinil ou CD e colocar para tocar.

Se você curtiu esse texto, aproveite para compartilhar o post em suas redes sociais. Outros fãs de rock também podem curtir!

Confira as principais atrações do Rock In Rio 2019

Confira as principais atrações do Rock In Rio 2019

O Rock In Rio é um dos principais festivais de músicas do Brasil. A cada 2 anos, a gente já sabe: rola a famosa disputa por ingressos para acompanhar dezenas de artistas internacionais. Com vários estilos, o RiR vai muito além do rock, e cria uma experiência única para a galera que marca presença. No Rock In Rio 2019, não vai ser diferente!

Seguindo o sucesso da edição de 2017, o line-up desse ano é diversificado, completo e voltado para todos os públicos. Inclusive, os palcos vão contar com a ilustre presença de artistas que nunca estiveram antes em terras tupiniquins. Imperdível, hein?!

Para já entrar no clima e preparar a playlist, veja quais são as atrações de destaque do Rock In Rio 2019!

O primeiro dia traz Drake como atração principal do primeiro dia

Kiki, do you love me? Para começar bem o festival, Drake será o headliner do primeiro dia. O rapper promete cantar seus maiores sucessos e agitar o público de milhares de pessoas.

Antes dele, vai ser possível curtir a rapper-sensação Cardi B, Bebe Rexha e o brasileiro Alok. É pra ninguém ficar parado no dia 27 de setembro!

A banda Foo Fighters vai agitar o segundo dia

Os amantes de um bom rock não podem perder o dia 28 de setembro. No Palco Mundo, os Foo Fighters apresentarão seus maiores sucessos em um show eletrizante. Nada melhor que curtir o talento de Dave Grohl, certo?

Outras atrações incluem as bandas Weezer, Tenacious D e a colaboração entre CPM 22 e Raimundos.

Bon Jovi encerra o primeiro final de semana do Rock In Rio 2019

Para quem ama um bom clássico, a presença de Bon Jovi será imperdível. A atração principal tocará no Palco Mundo no encerramento do primeiro final de semana, em 29 de setembro.

Antes de curtir a voz e o carisma de Jon Bon Jovi, dá para aproveitar Dave Matthews Band, Goo Goo Dolls e a brasileiríssima Ivete Sangalo.

A banda Red Hot Chilli Peppers quebrará tudo na quinta-feira

O Rock In Rio 2019 volta já na quinta-feira, em 3 de outubro. Nesse dia, o Palco Mundo será contagiado pela energia de Red Hot Chilli Peppers. Anthony Kiedis e companhia prometem quebrar tudo!

Antes deles, dá para aproveitar os sucessos de Panic! At The Disco, Nile Rodgers & Chic e Capital Inicial.

O Iron Maiden comanda a segunda sexta-feira

Para quem curte um som mais pesado, Iron Maiden traz toda a sua potência no dia 4 de outubro. E eles não estarão sozinhos: a banda Scorpions é a convidada especial da atração.

A quebradeira vai começar com o restante do line-up do dia, já que Helloween e Sepultura vão se apresentar!

A inédita P!nk é o destaque de sábado

A cantora P!nk nunca veio ao Brasil e fará sua estreia, justamente, no palco do Rock In Rio 2019. Ela é a atração principal no dia 5 de outubro, véspera do encerramento da edição.

Os shows anteriores incluem Black Eyed Peas, H.E.R e Anitta, que também se apresentará pela primeira vez no Palco Mundo.

O grupo Muse encerra o festival

Para fechar com chave de ouro, o último dia vai contar com a banda Muse como atração principal. O protagonismo como headliner é dividido com o som do grupo Imagine Dragons.

Antes deles, tocarão Nickelback e Os Paralamas do Sucesso, com músicas que todo mundo conhece. Quer coisa melhor?

O Rock In Rio 2019 caprichou nas atrações principais e você poderá ouvir algumas de suas músicas favoritas. Prepare-se para o festival e aproveite essa experiência única!

Se quiser ficar por dentro de muitas outras novidades e atividades, assine nossa newsletter e não perca!

10 fatos que você (talvez) não saiba sobre a NASA

10 fatos que você (talvez) não saiba sobre a NASA

Por André Cardoso

1.

A NASA (National Aeronautics and Space Administration) foi criada pelo presidente Dwight Eisenhower em 1958 como resposta ao lançamento do SPUTNIK (o primeiro satélite artificial) pelos soviéticos em 1957, que daria início a chamada Corrida Espacial.

2.

A NASA possui dois satélites de codinome “Tom & Jerry”. A trajetória das órbitas deles faz com que um esteja atrás do outro numa eterna perseguição.

3.

Um NAZI na NASA. O engenheiro alemão Wernher von Braun projetava armas para a Alemanha Nazista. O foguete V2 foi a arma mais notória projetada por ele. Após o término da Segunda Guerra Mundial, Von Braun teve seus crimes perdoados em troca da prestação de serviços para os EUA. Ele foi encarregado de chefiar o projeto espacial americano. Pode-se dizer que homem chegou à Lua com tecnologia nazista.

4.

Duas cópias do VOYAGER GOLDEN RECORD foram lançadas junto às sondas espaciais Voyager 1 e 2 em 1977. Os discos de ouro foram projetados para durar bilhões de anos na esperança de serem um dia encontrados por uma civilização alienígena. A gravação contem sons variados de animais e da natureza. Contém saudações em diversos idiomas e músicas de diversos lugares e épocas. A seleção de músicas vai de Mozart a Chuck Berry, incluindo canções de povos indígenas, de forma a representar a espécie humana como um todo. Você pode ouvir as faixas do disco neste link:

5.

Como parte do treinamento de sua equipe de funcionários, a NASA exibe o filme “Armagedom” e pede para os treineiros identificarem o maior número possível de imprecisões científicas. ♫ I could stay awake just to hear you breathing

6.

A NASA paga 18 mil Dólares para pessoas ficarem deitadas numa cama por 70 dias. Isso é feito para estudar os efeitos advindos de um longo período sem usar os músculos para sustentar o peso do corpo. E aí? Você é do tipo que adoraria ganhar dinheiro para ficar deitado assistindo séries e filmes? Deixo aqui outra pergunta: Será que nos são fornecidos os tais travesseiros da NASA?

7.

A espuma viscoelástica do chamado travesseiro da NASA foi inventada nos anos 1960 para revestir os assentos dos foguetes espaciais, protegendo, assim, os astronautas das imensas pressões sofridas na coluna durante o lançamento.

8.

Segundo os terraplanistas da Flat Earth Society, a NASA forja imagens e dados para esconder do mundo a “verdade” de que a Terra é plana. Por trás dessa conspiração estariam os seguintes objetivos:

• Esconder a verdade da Bíblia;

• Lucrar bilhões ao receber fundos para viagens espaciais (que são eventos forjados, sobrando, assim, bilhões de Dólares para a elite dirigente da NASA);

• Esconder do restante mundo a existência de recursos valiosos na Antártica, que ficam escondidos atrás de uma muralha gigante de gelo que circula os limites da Terra (um imenso disco plano).

9.

A NASA estabeleceu a meta de colocar seres humanos em Marte em algum momento da década de 2030. Será que poderemos assistir a esse evento em TVs de altíssima definição? Muito provavelmente surgirão teorias da conspiração afirmando que as imagens foram forjadas.

10.

Sex on the Moon. Em 2002, Thad Roberts, um estagiário da NASA de 25 anos, para impressionar uma garota que conhecia há apenas três semanas, roubou pedras lunares de um cofre da NASA. Após o delito, ele foi para um motel, jogou as pedras lunares em cima da cama e fez sexo com a garota em cima das amostras do terreno lunar. Ele foi pego pelo FBI tentando vender as valiosas pedras pela internet. Pegou oito anos de prisão.

Camiseta NASA Strip Me, disponível em www.stripme.com.br 😉



Sobre o autor

André Cardoso tem um enorme interesse por cinema, literatura, música e pelas diferentes ciências. Sempre considerou extremamente suspeito o fato da maioria das pessoas considerar que a maioria das pessoas é ignorante. Essa conta não fecha. Ele espera de coração que ele não faça parte do grupo dos idiotas que julgam que os outros é que são idiotas.

A história por trás de Stairway To Heaven, do Led Zeppelin

A história por trás de Stairway To Heaven, do Led Zeppelin

Dizem por aí que Stairway to Heaven é a música mais tocada por guitarristas em lojas de instrumentos… Não por acaso, é também uma das mais tocadas nas rádios de todo mundo: no play por mais de três milhões de vezes só entre 1971 e 2000.

Parte integrante do disco Led Zeppelin “IV”, que vendeu nada menos que 37 milhões de cópias, a canção tem realmente um quê de magia e acabou por conquistar fãs que nem gostam de Led Zeppelin. Conhece a história por trás da música?

A história por trás da música

Stairway to Heaven teve suas primeiras notas criadas nas férias de Jimmy Page e Robert Plant do ano de 1970. Tudo rolou no Bron-Yr-Aur, charmoso chalé da foto, onde Page deu start na parte acústica, enquanto Plant escrevia os primeiros versos.

Pouco depois, durante um ensaio em Headley Grange, a banda começou a estruturar a música. Jimy Page tinha partes elétricas e partes acústicas, quando teve a sacada genial que elas poderiam ser interligadas. Enquanto Page, John Bonham e John Paul Jones criavam a música, Plant se isolou em um canto pra compor. Quando voltou e começou a colocar a letra na música, estava quase 80% estava pronta. Sim, gênio é gênio.

Headley Grange

Abrimos aspas para John Paul Jones:

“Page e Plant voltaram das montanhas galesas com a introdução e o riff da guitarra. Eu literalmente a ouvi em frente de uma grande fogueira na casa de campo. Eu peguei uma flauta e toquei um riff bem simples que nos deu uma introdução, depois fui até um piano para a seção seguinte, acompanhando as guitarras”.

Jimmy Page, durante a gravação.

ROBERT PLANT disse: “‘Stairway to Heaven’ é uma divagação cínica sobre uma mulher que sempre conseguia tudo o que queria, sem dar a isso a devida reflexão ou consideração”. A relação de Plant com a canção é de amor e ódio. Apesar de ser grande clássico do Led Zeppelin, o cantor se cansou da música e, em meados de 1977, o grupo não a tocava em todos os shows. Em sua carreira solo, Plant não a executava com frequência. Em 1986, ele afirmou que “ficaria com urticária se a cantasse em todos os shows”.

John Bonham, Robert Plant, Jimmy Page e John Paul Jones

“Stairway To Heaven” teve sua primeira exibição em 5 de março de 1971, antes mesmo do Led Zeppelin IV ser lançado. Depois de conquistar seu público inicial, a música se tornou a mais pedida da história das rádios FM dos Estados Unidos, causava até congestionamentos nas linhas telefônicas das estações. 

Robert Plant, Jimmy Page e a icônica guitarra Gibson EDS-1275 
Enjoy!

Já conferiu a Camiseta Led + ACDC exclusiva da STM? Tá disponível na loja de camisetas que vos fala, é só clicar aqui

Curiosidades de Bohemian Rhapsody, o filme sobre o Queen

Curiosidades de Bohemian Rhapsody, o filme sobre o Queen

O longa que promete contar, como nunca antes contada, a história de Freddie Mercury e seu lendário Queen tem data marcada para estrear no Brasil: 27 de Dezembro de 2018. Ansiosos? Esta loja de camisetas que vos fala está. E muito!

Focado no período desde a formação da banda até seis anos antes da morte de Freddie (1991), o filme conta com ninguém menos que Rami Malek (da série Mr. Robot) como protagonista.

Sacha Baron Cohen, sim, o comediante britânico, havia sido escalado originalmente para o papel. Mas depois de muitas críticas de fãs do Queen, e e dos ex-membros da banda, o ator abandonou a produção.

A dança das cadeiras que rolou na produção do filme não para por aí! Peter Morgan escreveu o roteiro original de Bohemian Rhapsody. Com a demora na produção do filme, o roteiro foi passado para Anthony McCarten. Já a direção do filme começou com Bryan Singer, que foi demitido a apenas duas semanas do fim das filmagens. No seu lugar entrou o diretor Dexter Fletcher.

Bohemian Rhapsody narra a história ao redor dos primeiros anos do Queen na década de 70. Começa com o encontro entre Freddie Mercury, o guitarrista Brian May, interpretado por Gwilym Lee, o baterista Roger Taylor – papel de Ben Hardy, e o baixista John Deacon, interpretado por Joseph Mazzello.  E termina com o apoteótico show da banda Live Aid em 1985, uma das maiores e mais sensacionais apresentações da história do rock.

Como a própria divulgação do filme já adianta: “a única coisa mais extraordinária que sua música, é sua história”. Pois é, Freddie Mercury realmente desafiou estereótipos, quebrou todas as convenções e se tornou um dos artistas mais amados do planeta.

A missão do filme é mostrar o sucesso meteórico do Queen, suas canções icônicas e o som maravilhoso e revolucionário da banda. Que tarefa f**da, né? E pra dar aquele gostinho extra, vai aí o segundo trailer do filme que vai falar sobre a banda que até hoje inspira desajustados, sonhadores e amantes da música. 

Oh mama mia, mama mia, mama mia let me gooooooo!

Camiseta Queen Freddie - STM. Disponivel na loja online: stripme.com.br
Camiseta Queen Freddie STM, nossa homenagem exclusiva 😉
https://www.stripme.com.br/camiseta-queen-freddie-mercury

Sincronia entre Pink Floyd e Mágico de Oz em versão otimizada

Sincronia entre Pink Floyd e Mágico de Oz em versão otimizada

Se você, como a gente, chegou na internet quando isso aqui ainda era só mato, sem dúvida já ouviu falar do efeito “The Dark Side of the Rainbow”. Para os recém-chegados: esse foi o nome dado pra curiosa sincronia entre o The Dark Side of the Moon (1973), mais famoso álbum do Pink Floyd, com o clássico do cinema O Mágico de Oz (1939).

Pois é, o assunto foi já foi supra comentado, já virou camiseta de rock, já gerou inúmeras teorias mirabolantes e muitas vezes conspiratórias, além de ter virado até tema de evento no MIS – Museu da Imagem e do Som (São Paulo) que contratou banda e tudo pra executar as músicas ao vivo enquanto o filme era exibido em um telão. Sensacional, diga-se de passagem.

Tudo indica que foi em meados da década de 90 que algum maluco descobriu que The Dark Side of the Moon é a trilha quase perfeita para o filme. É realmente espantoso: os cortes e viradas das músicas dão todo sentido para as cenas. Momentos de tensão ou calmaria casam com a melodia e letra das músicas. Até as ações de personagens são marcadas em cada canção.  Por exemplo, quando a protagonista Dorothy balança em um muro entra o verso de “Breathe” com a letra “balançando na maior onda”. Em outro momento Dorothy encosta o ouvido no peito do personagem Homem de Lata enquanto ouvimos a batida de coração de “Brain Damage”.  Ainda na mesma música, quando a letra diz “o lunático está na grama”, vemos o personagem Espantalho dando uma surtada.

Quer fazer a sincronia em casa? Dá! Aperte o play no álbum no momento que o leão da MGM solta seu terceiro rugido. Pronto, você vai presenciar um dos mistérios mais legais do mundo do entretenimento. Mistério porque os caras do Pink Floyd negam sumariamente que o efeito seja proposital.

Existem inúmeras versões do efeito na internet, e quem já assistiu alguma delas pode reparar algumas falhas de sincronia. Mas, como a internet está cheia de boas almas, uma delas resolveu esse problema e corrigiu todas as falhas de sincronia. O anjo foi o usuário do YouTube “dumwyteguy” que postou neste ano a versão otimizada de  Dark Side of the Rainbow. Dá o play aí embaixo 😉

3 dicas para escolher o presente para o Dia dos Pais e acertar em cheio!

3 dicas para escolher o presente para o Dia dos Pais e acertar em cheio!

Quer Acertar no presente para o Dia dos Pais?

VAI DE STM!

Acertar em cheio no presente pode não ser uma tarefa simples… Mas se você está lendo essas dicas preparadas com muito carinho pela STM para os pais mais descolados da galáxia, quer dizer que o presenteado tem muito estilo, o que já é meio caminho andado! Uma camiseta estilosa STM é mais que um presente: é um jeito de mostrar que você conhece o presenteado e sabe que ele curte cuidar do visual e produtos de qualidade.

Caimento tem que ser perfeito!

Na loja de camisetas STM tem o caimento certo para cada estilo. Navegando pelo site você vai encontrar:

Então, se o pai que você vai dar uma STM de presente é mais clássico e não abre mão de uma camiseta que veste bem, uma peça com corte reto e gola tradicional é o ideal. Já para o pai mais moderninho, que curte um visual mais ousado, as peças STM com gola alongada ou no corte a fio vão fazer sucesso!

descubra os gostos dele!

Conhecer o quem vai ganhar o presente é super importante na hora de escolher o estilo da camiseta masculina. A STM, por exemplo, tem camisetas com estampa ou sem. Camiseta com bolso ou sem, camiseta recortes, camisetas básicas etc. Pra você chegar mais rápido em cada estilo, separamos os links diretos aqui embaixo:

capriche no tema do presente

Nada mais especial do que um presente com a nossa cara, né? Pensando nisso, essa última dica parece básica mas é bem importante. Não adianta dar um presente que você curte e o presenteado nem tanto.

Então, se na hora comprar o presente para o Dia dos Pais você escolheu camiseta com estampa, escolha com carinho! O presente ideal também é uma chance de mostrar que você admira ou compartilha os mesmos gostos dele. Seja camiseta de filme ou uma camiseta de rock, uma camiseta florida, de cartoon, tattoo: essa é a hora de mostrar que você conhece o papai como ninguém.

E aí, já escolheu o presente perfeito para o dia dos Pais? Tem alguma dica matadora pra compartilhar com a gente? Deixa aqui nos comentários!

Cadastre-se na Newsletter
X

Receba nossos conteúdos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.